Image Image Image Image Image
Scroll to Top

Para o Topo.EPara o Topo

Arquivos argentina - IberCultura Viva

14

abr
2022

Em Notícias

Por IberCultura

Representantes de 30 Pontos de Cultura da Argentina participam de encontro em Santiago del Estero

Em 14, abr 2022 | Em Notícias | Por IberCultura

Nos dias 7 e 8 de abril, se realizou na cidade de Santiago del Estero um encontro provincial com 30 Pontos de Cultura que incluiu espaços de reflexão, capacitação e um encerramento com artistas locales, dentro de Cultura Federal, uma iniciativa do Ministério de Cultura da Argentina para reforçar a federalização, a diversidade e a inclusão em todo o território nacional.

As atividades tiveram como sedes o Centro de Convenções Fórum e o Ponto de Cultura “El Patio del Indio Froilán”. Além de uma apresentação do programa Pontos de Cultura, se realizaram oficinas de capacitação e mesas de reflexão sobre experiências comunitárias (cultura desde as juventudes, soberania alimentar, meio ambiente e abordagem das violências em espaços comunitários).

No final do encontro houve um fórum dos Pontos de Cultura onde se decidiu criar uma mesa provincial que avance a articulação de iniciativas próprias da rede. Depois, o ministro de Cultura da Argentina, Tristán Bauer, se reuniu com as organizações comunitárias locais para conhecer mais sobre o trabalho territorial e ouvir sobre seus projetos.

O encerramento artístico esteve a cargo do Ponto de Cultura Asociación Civil Música de Mujeres, que apresentou “Las Mullieris”, e de Morena Lezcano, cantora trans de Santiago del Estero; Bembé Guiné (Patio del Indio Froilán), que interpretou “Flama”, uma obra baseada na invisibilização das comunidades afrodescendentes no país, e o Ponto de Cultura Empoderar, que interveio com poesia.

Tags | ,

17

fev
2022

Em Notícias

Por IberCultura

15 indígenas da Argentina, do Brasil e do Equador lançam o e-book “De Abya Yala com Amor”

Em 17, fev 2022 | Em Notícias | Por IberCultura

 

Em outubro de 2021, 15 indígenas de distintas regiões de Argentina, Brasil e Equador começaram a partilhar experiências, opiniões, visões, saberes e sentimentos através das ferramentas digitais. Ao longo de dois meses, esses sete homens e oito mulheres pertencentes a 12 povos/etnias realizaram seis “fogueiras digitais” de aproximadamente duas horas. Nesses encontros (por Zoom com transmissão por YouTube), deixaram a palavra correr, como tradicionalmente acontece nas comunidades indígenas quando se reúnem ao redor do fogo. 

O e-book “De Abya Yala com Amor”, que o coletivo agora apresenta em sua primeira versão com alguns textos em português e outros em espanhol, é um dos resultados desses intercâmbios digitais desenvolvidos no projeto “Diversidade Indígena Viva”. A iniciativa foi uma das 20 propostas selecionadas no Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2021.

Esta semana duas “fogueiras digitais” serão armadas especialmente para o lançamento da publicação, com a participação de algumas das pessoas autoras e transmissão pelo canal  www.youtube.com/mensagensdaterra. O encontro em espanhol será nesta quinta-feira, 17 de fevereiro, às 17h do Equador e 19h da Argentina. A versão em português ficou marcada para a sexta-feira, 18 de fevereiro, às 18h de Brasília. 

.

Mensagens para a humanidade

“De Abya Yala com Amor” é um livro coletivo em que cada autor/a indígena traz uma mensagem para a humanidade que renasce neste momento de crises superpostas (ambiental, econômica, sanitária). Para esta comunidade intercultural de aprendizagem livre, estamos no meio de grandes mudanças, desafiados a mudar nossos paradigmas.

Esta versão original da publicação, com 90 páginas, tem os textos em espanhol ou em portugués, conforme foram enviados por seus autores/as em janeiro de 2022. A ideia é lançar posteriormente uma versão toda em espanhol e outra em português.

Além dos textos para o e-book, as fogueiras digitais realizadas em 2021 renderam mais de 40 vídeos curtos, editados pelo diretor audiovisual Sebastián Gerlic, argentino radicado no Brasil que compartilhou a gestão deste projeto com os indígenas  Mariela Tulián (Argentina), Angel Eras (Equador) e Nhenety Kariri-Xocó (Brasil). Estas “chispas” (em espanhol) ou “faíscas” (em português), com trechos dos depoimentos das pessoas autoras do livro, estão disponíveis no canal www.youtube.com/mensagensdaterra.

Da Argentina participam Tinkina Solita Tonokoté (Santiago del Estero); Lecko e Haylly Zamora Wichi (Chaco); Liliana Claudia Huarpe (Mendoza), e Mariela Comechingón Sanavirón Tulián (Córdoba). Do Brasil: Horopakó Desana (Amazonas); Cacique Kaji Waurá (do Xingu); Morubixabas Itamirim e Weramoru Tupi Guarani (São Paulo); Nhenety Kariri-Xocó (Alagoas) e Maria Pankararu (Pernambuco). Do Equador: Lauro Jerônimo Saant e Yamanua Shuar (Amazonas); José Atupaña Guanolema (kichwa-Puruhá) e Ángel Ramírez Eras, da cultura Palta, da região de Loja.

.

📌Saiba mais sobre o projeto: http://www.thydewa.org/abyayala/

.

Tags | , , , ,

06

set
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Província de Jujuy se incorpora à Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais

Em 06, set 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

O ministro de Cultura e Turismo da Província de Jujuy (Argentina), Federico Posadas, enviou à presidência do programa IberCultura Viva a carta de solicitação de incorporação da província à Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais. O documento, assinado no dia 2 de setembro, informa que o secretário de Cultura de Jujuy, Luis Medina Zar, será o representante do governo local na rede.

A província propôs duas atividades em articulação com o programa IberCultura Viva. Uma delas, dirigida a povos originários, inclui a realização de conversatórios de medicina natural ancestral, de um seminário de música, danças e instrumentos e uma conversa sobre cerimônias ancestrais. O evento, que se realizará entre 8 e 11 de outubro, tem o objetivo de conhecer, valorizar e intercambiar saberes culturais ancestrais entre as comunidades do corredor Andino Qhapaq Ñan-Perú/ Argentina.

A segunda atividade proposta foi o desenvolvimento de cursos de formação cultural a tutores comunitários, de maneira virtual e semipresencial, tendo como população destinatária gestores culturais públicos e independentes e representantes das quatro regiões da província de Jujuy (Puna, Quebrada,Yungas e Valles). A carta de adesão  também cita um espaço de participação e diálogo com a sociedade civil em Jujuy: um fórum de participação com 24 organizações culturais comunitárias. 

Jujuy é a terceira província argentina que adere à iniciativa, ao lado das províncias de Entre Ríos e Chaco. A Argentina também está presente na rede com três municípios: Almirante Brown, Comodoro Rivadavia e Marcos Juárez.

.

(Fotos: Secretaría de Cultura de Jujuy)

Tags | , ,

29

ago
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Comodoro Rivadavia: “Cultura Comunitária” como coluna vertebral de políticas públicas e populares

Em 29, ago 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

(Texto e fotos: Secretaria de Cultura de Comodoro Rivadavia)

Com a premissa de aproximar o Estado dos bairros e descentralizar a atividade cultural, a Secretaria de Cultura do Município de Comodoro Rivadavia (Argentina) leva adiante o Programa Cultura Comunitária, com propostas culturais vinculadas à recreação, formação em ofícios, atividades literárias e de introdução a informática e inglês.

As oficinas são ministradas em mais de 50 sedes, trabalhadas sob a modalidade de “bolhas”, em grupos que não passam de 15 participantes por vez, em espaços amplos e ventilados, com sanitizadores à disposição.

Nesses três primeiros meses da experiência em um contexto sanitário difícil, a secretaria de Cultura do município, Liliana Peralta, valoriza o trabalho do pessoal da área junto às instituições dos bairros, que abrem suas portas para o desenvolvimento das oficinas. “A articulação e os protocolos que devemos implementar levam a uma tarefa muito exaustiva e com muita responsabilidade, que temos podido cumprir sem inconvenientes, sempre priorizando a saúde dos participantes”, assegura.

Pelo impacto do programa — estima-se umas 4 mil pessoas por semana –, Peralta afirma que “as oficinas culturais cumprem uma importante função social que não esteve ativa durante 2020 devido à pandemia, e que foi muito pedida pelas pessoas dos bairros”.

“Hoje voltamos a colocar em cena este programa, cujas oficinas formam parte da coluna vertebral das políticas públicas e populares para a inclusão social, por sua gratuidade e pela ampla oferta, destinada a pessoas de todas as idades, em igualdade de possibilidades”, explica.

.

Variada oferta de cursos

Com respeito às atividades, são ministradas oficinas de música, danças, teatro, clown, circo social, zumba, ritmos latinos, manualidades, pintura, desenho, inglês e computação, atividades plásticas de percepção, fotografia criativa, horta, mosaico, tear, porcelana, reciclado, bordado chinês e mexicano, pintura decorativa e tecido.

Entre os chamados cursos de ofícios, os mais importantes são carpintaria, cabeleireiro, corte e confecção, cozinha e doces. Entre as propostas literárias estão os espaços para a narração gráfica, a leitura e a escrita, a narração oral cênica e a oficina de arte narrativa aplicado às bibliotecas.

.

Rede Comunitária de Apoio às Trajetórias Escolares

Do Programa Cultura Comunitária também se desdobra a proposta da Rede Comunitária de Apoio às Trajetórias Escolares, destinada a crianças e adolescentes que cursam o ensino fundamental e o ensino médio. Essa rede surge como medida paliativa diante da crítica situação educativa que se vive na região, agora aprofundada pela pandemia.

A rede é uma ferramenta para assistir a crianças e adolescentes que passam por certas dificuldades no momento de estudar, somado à ausência ou ao escasso acompanhamento familiar, este último próprio de grupos monoparentais ou com exigências laborais, o que deixa as crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade educativa, com altas probabilidades de repetência e abandono escolar. A iniciativa é realizada em 16 sedes, distribuídas em toda a extensão da cidade, com um alcance de mil pessoas.

Para sua execução, articulam-se esforços desde o Município de Comodoro Rivadavia, através da Secretaria de Cultura; as associações de vizinhos; os Centros de Promoção de Bairro; docentes e auxiliares docentes do Instituto de Formação Docente n° 806 e a Universidade Nacional da Patagônia San Juan Bosco. Além do empresariado local, que contribui com o aporte de merendas e cafés da manhã para os participantes, assim como para a compra de material didático.

A secretaria de Cultura, Liliana Peralta, comenta o impacto da rede ressaltando que  “este projeto de Cultura Comunitária faz com o que Estado esteja presente naquelas famílias em que o contexto socioeconômico e pessoal põe em situação de vulnerabilidade, oferecendo possibilidades de acompanhamento a crianças e adolescentes em seu ciclo educativo escolar”.

Para ela, “ser uma ponte entre a tarefa escolar, o tempo familiar e o espaço comunitário se traduz em uma tentativa de garantir os direitos culturais, para a harmonia social, para ensinar e aprender, para traçar um caminho de cidadãos com ferramentas que lhes permitam exercer sua liberdade”.

 

(*) Comodoro Rivadavia é um dos municípios integrantes da Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais. Saiba mais sobre a rede: https://bit.ly/2Wsx6j1

Tags | , ,

24

ago
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Saberes Comunitários: um seminário permanente para formadores/as culturais

Em 24, ago 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

O Ministério de Cultura da Argentina abriu nesta segunda-feira, 23 de agosto, a convocatória “Saberes comunitários”. Este seminário permanente para formadores/as culturais surge no âmbito do programa Território de Saberes, uma iniciativa da Direção Nacional de Formação Cultural da Secretaria de Gestão Cultural.

O seminário é dirigido a formadores/as de espaços culturais e educacionais da Argentina e da América Latina, com interesse na formação cultural comunitária e que desenvolvam sua atividade em organizações, coletivos e instituições culturais comunitárias. 

Serão seis aulas quinzenais, realizadas às segundas-feiras, entre 6 de setembro e 15 de novembro de 2021, e distribuídas em três módulos temáticos. O módulo 1 abordará o tema “Problemáticas comunitárias e comunicação popular”; o módulo 2, “Soberania alimentar e educação ambiental”, e o módulo 3, “Ferramentas lúdicas e artísticas nas práticas comunitárias”.

As aulas serão ministradas por representantes de organizações comunitárias que participaram dos ciclos de intercâmbio do Território de Saberes durante 2020 e parte de 2021. Além de promover e dar visibilidade ao potencial articulador, federal e criativo das organizações participantes do Território de Saberes, o seminário visa dar origem a experiências e ferramentas de formação que possibilitem a construção coletiva do conhecimento e a difusão dos saberes que as comunidades desenvolveram ao longo do tempo nos seus territórios.

Para participar do “Saberes comunitários”, é necessário se cadastrar previamente em cada uma das aulas que deseja cursar através da plataforma Formar Cultura. É recomendado, mas não exclusivo, frequentar todo o ciclo. As inscrições permanecem abertas até o final do seminário. As inscrições para cada aula serão encerradas três dias antes de seu início. 

.

Consultas: territoriodesaberes@cultura.gob.ar

.

Fonte: Ministerio de Cultura de la Nación 

Tags | ,

18

ago
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Ministério de Cultura da Argentina concederá apoio financeiro extra para Pontos de Cultura

Em 18, ago 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

(Foto: Georgina García)

O Ministério de Cultura da Argentina concederá um aporte financeiro extraordinário a todas as organizações que integram a Rede Nacional de Pontos de Cultura. O subsídio será outorgado como reconhecimento ao trabalho realizado durante a pandemia, com o objetivo de manter os espaços e fortalecer os projetos que levam adiante cada uma das organizações comunitárias que formam a rede.

Esta assistência econômica, um investimento de mais de 100 milhões de pesos argentinos, é parte das medidas que serão implementadas no país ao longo do segundo semestre para impulsionar, fortalecer e ativar o setor da cultura através do trabalho e da produção. 

A convocatória segue aberta até 27 de agosto. O valor máximo será de 80 mil pesos para a categoria de Pontos de Cultura de Base; 100 mil pesos para a categoria de Pontos de Cultura com Personalidade Jurídica; 100 mil pesos para a categoria de Comunidades Indígenas, e 125 mil pesos para a categoria Redes que Reúnem Organizações (dirigida a entidades que representam o coletivo).

Este apoio se dá no âmbito do 10º aniversário do programa Pontos de Cultura, vinculado à Direção Nacional de Diversidade e Cultura Comunitária, da Secretaria de Gestão Cultural, que desde 2011 vem acompanhando mais de 1200 organizações comunitárias de todo o país com subsídios, capacitações e distintas ferramentas que fortalecem o trabalho cultural nos territórios. 

Estão aptas a receber o benefício as organizações que cumprirem com os requerimentos do regulamento, que tenham sido selecionadas em qualquer uma das seis convocatórias feitas desde a criação de Pontos de Cultura na Argentina e que continuam com o trabalho na atualidade. 

Saiba mais sobre a convocatória

https://www.cultura.gob.ar/aporte-economico-extraordinario-para-puntos-de-cultura-10953/

Consultas: puntos@cultura.gob.ar.

.

(Fonte: Ministerio de Cultura de la Nación)

Tags |

03

ago
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Ministério de Cultura da Argentina abre a convocatória para a terceira edição de Território de Saberes

Em 03, ago 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

Está aberta até o dia 16 de agosto a convocatória para a terceira edição do Território de Saberes, o ciclo de formação sobre cultura comunitária na modalidade a distância lançado pelo Ministério de Cultura da Argentina.

Território de Saberes é uma iniciativa da Direção Nacional de Formação Cultural da Secretaria de Gestão Cultural, e conta com o apoio da Diplomatura em Mediação Cultural, Comunidade, Artes e Tecnologias da Universidade Nacional das Artes.

Este programa de capacitação está destinado a pessoas, coletivos culturais e organizações comunitárias da Argentina que levem a cabo atividades de formação em seus territórios, gerando um espaço de intercâmbio horizontal para a construção coletiva de conhecimentos e a democratização de saberes.

A nova edição estará organizada através de três módulos temáticos: 1) Cultura comunitária e educação popular; 2) Soberania alimentar e anti-especismo; e 3) Cultura comunitária e comunicação. Cada um dos módulos terá uma duração aproximada de 21 dias e contará com encontros e espaços de oficinas, onde participarão referências da cultura comunitária, pesquisadores/as e efetores/as de políticas públicas.

.

Critérios

Para se inscrever é necessário ser cidadão/cidadã e/ou residente/a da Argentina, ser maior de 18 anos, contar com acesso a internet e fazer parte de um coletivo cultural, organização cultural comunitária, espaços culturais de organizações sindicais e/ou áreas de extensão de universidades nacionais de todo o país. Também é necessário contar com dois anos ou mais de experiência em educação popular e/ou espaços de formação em coletivos e organizações culturais comunitárias ou ter sido designado para cumprir esse papel recentemente por parte das pessoas referentes de seu coletivo ou organização.

.

(*) Texto atualizado em 9 de agosto de 2021

.

Saiba mais: https://bit.ly/3C9d4dC

Consultas: territoriodesaberes@cultura.gob.ar

Tags |

22

jun
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Programa Pontos de Cultura da Argentina completa 10 anos

Em 22, jun 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

Em 22 de junho de 2011 foi criado o Programa Pontos de Cultura na Argentina. São 10 anos apoiando a cultura comunitária, construindo no território, acompanhando projetos coletivos e fortalecendo a cultura solidária em todo o país.

Para celebrar esses 10 anos de atividades, em breve se realizará o Encontro Nacional de Pontos de Cultura 2021. A programação contará com conversatórios, grupos de trabalho, encontros regionais e de articulação em rede, fóruns e oficinas.

.

.

O programa Pontos de Cultura surgiu no âmbito de um projeto nacional e popular, com o objetivo de acompanhar coletivos e organizações sociais que desenvolvem projetos comunitários, apoiando o trabalho de base, a participação, a formação e o fortalecimento das redes locais, regionais e nacionais que sustentam o tecido social.

Baseado no programa Cultura Viva, surgido no Brasil no ano de 2004, Pontos de Cultura veio para reestruturar e aprofundar as experiências de apoio a organizações sociais e comunidades indígenas desenvolvidas até o momento, sistematizando uma política cultural e gerando um contato perdurável e planejado com elas, para que suas iniciativas sejam sustentáveis no tempo.

Nesta década de trabalho, foram realizadas seis convocatórias públicas – com um investimento de mais de 260 milhões de pesos argentinos. Atualmente, a Rede Nacional de Pontos de Cultura conta com organizações de todo o país.

O programa não apenas oferece subsídios para levar adiante projetos, mas  também assessoramento para sua apresentação e execução; ferramentas de capacitação; encontros regionais e nacionais com a possibilidade de trabalhar em rede junto aos Pontos de todo o país, para fortalecer e multiplicar seu impacto transformador. Todas as novas organizações que se integram ao programa formam parte da Rede Nacional de Pontos de Cultura. Porque cada trabalho se potencializa estando em contato com outros, compartilhando seus relatos e suas experiências.

Leia a notícia publicada no site Identidades, do Ministério de Cultura 

Consultaspuntos@cultura.gob.ar

Tags | , ,

11

jun
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Província de Entre Rios terá um ciclo de conversas virtuais da cultura comunitária 

Em 11, jun 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

A Secretaria de Cultura de Entre Ríos (Argentina), através da Direção de Formação e Diversidade Cultural, lança o ciclo de conversas virtuais “Tejido Circular”. Dez organizações culturais comunitárias da província vão compartilhar suas experiências, metodologias de trabalho e formas de gestão em 10 encontros virtuais que serão realizados às terças-feiras, a partir de 15 de junho, às 19h (horário de Brasília e Argentina). 

As organizações que participarão são: Taller Flotante, la Unión Entrerriana de Músicos Independientes, Cooperativa Cabayú Cuatiá, EntreAfros, Asociación Gaseti Gazun, Biblioteca Popular Mitre, Radio Comunitaria Sapukay, Asociación Civil Barriletes, Fundación Arbolar e la Red de Comercio Justo Piri Hue.

Este ciclo faz parte dos compromissos assumidos pela Secretaria de Cultura da província como membro da Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais. (Saiba mais sobre a rede em https://bit.ly/3ceh9SD)

As pessoas interessadas em participar do ciclo de bate-papos devem enviar um e-mail a significandocultura@gmail.com.

Fonte: Secretaría de Cultura de Entre Ríos

Tags | , ,

13

Maio
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Ministério de Cultura da Argentina lança Identidades, site de conteúdos e saberes culturais comunitários

Em 13, Maio 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

Organizações e projetos comunitários de todo o território argentino agora contam com um espaço de encontro virtual para compartilhar seus conhecimentos, experiências e produções. O site Identidades, que já está disponível com cerca de 500 publicações (em sua maioria, material audiovisual e de rádio), é uma iniciativa da Secretaria de Gestão Cultural do Ministério de Cultura da Argentina levada a cabo pela Direção Nacional de Diversidade e Cultura Comunitária. 

Mais de 130 pessoas participaram do evento de lançamento do site, via Zoom, na sexta-feira, 7 de maio. Além de representantes de organizações culturais comunitárias de diferentes regiões do país, a apresentação contou com intervenções do ministro da Cultura, Tristán Bauer; do secretário de Gestão Cultural, Maximiliano Uceda, e do diretor nacional de Diversidade e Cultura Comunitária, Gianni Buono. 

María Cabrejas, coordenadora de comunicação da Direção Nacional de Diversidade e Cultura Comunitária e responsável pelo site, abriu o encontro virtual destacando o trabalho conjunto realizado para a construção de Identidades, e o propósito de que este espaço continue a se multiplicar, dando visibilidade às iniciativas culturais comunitárias, ajudando a estabelecer redes. 

“Identidades nasceu com o objetivo de dar visibilidade à diversidade das organizações comunitárias, fortalecendo os laços de solidariedade. É uma janela para o setor comunitário comunicar suas ações, suas ideias, seus projetos, e compartilhar experiências socioculturais em âmbito federal. Projetos que nos façam pensar, emocionar, fazer circular a memória coletiva, as vozes, a arte, as lutas e as culturas das comunidades”, afirmou a comunicadora. “(…) Apesar da situação difícil que estamos passando, as comunidades nos ensinam em cada projeto, em cada documentário, em cada programa de rádio que nos mandam, a enfocar o que é importante: a solidariedade, a verdade, a justiça e a beleza.”



Eixos de atuação

O site hospeda documentários, ficções, spots, entrevistas, palestras, podcasts, peças de rádio, videodança e musicais, entre outros materiais produzidos por grupos, organizações e projetos culturais, além de órgãos e programas estaduais. Cada conteúdo é acompanhado de informações sobre a origem, gênero, tema e canais de contato de seus realizadores, para facilitar o intercâmbio e promover a construção de vínculos colaborativos entre os/as usuários/as.

Os conteúdos são organizados em seções que representam as principais linhas de trabalho da cultura comunitária. “Territoriales”, por exemplo, é dedicado a experiências de trabalho coletivo, lutas e construções comunitárias, projetos sociais e de economia popular. “Raíces”, por sua vez, reúne produções e experiências que valorizam o conhecimento das comunidades indígenas, cultura afro, coletividades e migrantes. 

Há também seções como “Diversxs” (para projetos com perspectiva de gênero e ativismos LGBTQI+), “Em Memória” (para a construção coletiva da memória histórica), “Em movimento” (para expressões teatrais, esportivas e artísticas, de corporalidades), “Rádio” (conteúdos sonoros e produções coletivas para rádios comunitárias), “Histórias” (projetos narrativos e experimentais, literários, fotográficos e cinematográficos), “Musicais” (produções musicais solo e coletivas vinculadas a organizações comunitárias) e “Caixa de ferramentas” (recursos educacionais, recreativos e experiências educacionais comunitária).



Uma perspectiva federal e solidária

Como as autoridades apontaram no evento de lançamento, Identidades é um convite para compartilhar histórias, experiências e projetos que promovam uma perspectiva federal e a construção de uma sociedade mais solidária, justa e inclusiva. “Valorizemos este conhecimento diverso, esta heterogeneidade cultural que nos tornou tão fortes e tão diferentes no mundo. Esta é mais uma ferramenta para colocar a Argentina de pé com uma perspectiva federal e solidária”, disse Gianni Buono, diretor nacional de Diversidade e Cultura Comunitária, esperando que este espaço seja “o início de um caminho muito próspero e, sobretudo, muito participativo por parte das organizações”. 

Para Maximiliano Uceda, secretário de Gestão Cultural, “estas plataformas permitem-nos amplificar a voz que já existe, que é a voz dos territórios, que é a voz que se produz constantemente e que é o que configura uma identidade coletiva”. Ao comentar a importância de políticas públicas como a dos Pontos de Cultura, que legitimam o que já tem legitimidade territorial, Uceda disse que Identidades será uma grande janela para se chegar a uma política com a capilaridade necessária aos territórios. “E que entendamos e nos colocamos à disposição do territorial como grande configurador do comunitário, do cultural, como grande parte do que significa ser argentina e argentino”.

Antes da intervenção do ministro da Cultura, representantes de organizações culturais comunitárias que enviaram conteúdo para o novo site falaram sobre a iniciativa e a importância de ter um espaço como este para compartilhar suas experiências. Ariel Ogando falou em nome do Wayruro, um coletivo de comunicação popular fundado em 1994 em Jujuy. Mariana Villani, pelo coletivo feminista Red Magdalenas; Julian Rossini, pela Orquestra La Casita de los Pibes; Nacho Aguilar, por La Mosquitera, rádio comunitária de Mendoza; Estela Calvo, pelo Res o no Res, grupo de teatro comunitário de Buenos Aires; e os jovens rappers Fabian e Luis, pelo projeto intercultural Ha’e Kuera Ñande Kuera, de Puerto Iguazú, Misiones. 

Além deles, Gustavo Cataldi apresentou Birritácora, documentário transmídia sobre o cineasta Fernando Birri (1925-2017), um dos conteúdos que se destaca em Identidades. “Birritácora pretende abranger toda a obra artística de Birri, que foi um artista multifacetado, cineasta, pintor, titereiro, ator, poeta. A ideia é reunir toda a sua arte e sua marca, numa construção comunitária e coletiva, (…) e ter neste espaço um ponto de encontro onde possamos nos conhecer, armar redes e continuar a expandir e manter viva a chama do Fernanda”, comentou Cataldi. 

Ao tomar a palavra, o ministro Tristán Bauer celebrou as iniciativas culturais comunitárias apresentadas e afirmou como é fundamental, nos tempos em que vivemos, continuar com o trabalho territorial. “Somos filhos desses encontros, dessas mobilizações massivas, desses encontros, desses abraços, desse marchar juntos, mas nos últimos anos, e ainda mais agora na pandemia, é imprescindível habitar esse território virtual, povoá-lo, vivê-lo”, ressaltou. 

Segundo Bauer, Identidades é uma nova ferramenta para continuar construindo esse entramado cultural no território virtual. “Estamos dando um primeiro passo muito importante. Façamos crescer este espaço entre todos nós, pela memória de tantos colegas que, dos seus bairros, das suas casas, dos seus centros culturais, dos seus teatros independentes, das suas escolas, constroem dia a dia esta trama. (…) Em tempos de pandemia, e quando sairmos mais fortes desta pandemia, vamos encontrar no Identidades um local para partilhar os nossos conhecimentos e para gerar, criar e promover uma verdadeira cultura comunitária”.

(*) Pessoas interessadas em enviar conteúdo, compartilhar projetos ou experiências dentro do site devem escrever para identidades@cultura.gob.ar.

Tags |