Image Image Image Image Image
Scroll to Top

Para o Topo.EPara o Topo

Arquivos seminario - IberCultura Viva

16

Maio
2022

Em Destaque
Notícias

Por IberCultura

Inicia-se o ciclo de seminários sobre cultura comunitária proposto pelo GT de Sistematização 

Em 16, Maio 2022 | Em Destaque, Notícias | Por IberCultura

.

“Culturas e Diversidades Comunitárias” foi o tema do primeiro seminário do Grupo de Trabalho de Sistematização e Difusão de Práticas e Metodologias de Políticas Culturais de Base Comunitária (GT de Sistematização), que foi realizada por videoconferência no dia 14 de maio. Marcelo Vitarelli (Argentina), Daniel Zas (Argentina) e Andrea Mata (Costa Rica) foram os palestrantes desta apresentação inaugural. A sistematização ficou a cargo de Paula Simonetti, Clarisa Fernández, Bárbara Vega e Rocío Orozco. 

Na abertura, Flor Minici, secretária técnica do IberCultura Viva, cumprimentou os participantes em nome do programa e comentou a importância deste ciclo de seminários que o GT de Sistematização propôs para este ano. “Estas instâncias constituem um conjunto de reflexões, elaborações, produções coletivas, a partir das quais pensamos também os objetivos estratégicos e as políticas futuras, a partir dos diagnósticos e caracterizações que os companheiros e as companheiras deste Grupo de Trabalho de Sistematização realizam”, ele destacou.

Marcelo Vitarelli, que coordenou esta primeira palestra, explicou que a proposta partiu do desafio de sistematizar uma produção específica de conhecimento em torno da cultura comunitária, e que este seminário buscou discorrer sobre culturas comunitárias e diversidades, entendendo esta apresentação nos termos da estreita relação entre comunidade, diversidade e cultura. 

“Hoje estamos conversando com vocês não para apresentar definições, não para falar de conceitos absolutos, muito pelo contrário. (A ideia é a) de abordar essa jornada em torno de culturas e diversidades e começar a contribuir com o diálogo para pensar em conjunto essa questão em nossa região. Este é o espírito”, destacou Vitarelli antes de sua apresentação “Culturas e diversidades comunitárias, itinerários para caminhar”.

Marcelo Vitarelli é professor, pesquisador e extensionista social na Universidade Nacional de San Luis e na Universidade Nacional de Villa Mercedes. Membro ativo da Rede de Culturas Comunitárias da Universidade, ele fez uma apresentação mais conceitual na abertura deste primeiro seminário do GT, deixando que os outros dois palestrantes  trabalhassem os conceitos à luz da experiência territorial.

Daniel Zas, responsável pela segunda apresentação da tarde, falou sobre “A experiência da Orquesta Estable da Rádio Reconquista e a Articulação com a Rede Arte, Memória e Territórios”. Gestor cultural, músico, comunicador e educador popular, Daniel fez um relato sobre o trabalho que desenvolve em Villa Hidalgo, bairro popular de José León Suárez, na região metropolitana de Buenos Aires (Argentina). 

Além de fazer parte da equipe de coordenação do grupo juvenil da Rádio Comunitária FM Reconquista – Associação Civil de Mulheres La Colmena, ele é um dos coordenadores do projeto Orquesta Estable da Rádio Reconquista e professor do curso de Técnica de Música Popular da Escola Popular de Música das Mães da Plaza de Mayo – Linha Fundadora. 

A terceira exposição deste sábado foi “Culturas Comunitárias e Diversidades: Experiências do Movimento Latino-Americano de Cultura Viva Comunitária nos casos de suas redes na Costa Rica e Argentina”, de Andrea Mata Benavides, que além de professora e pesquisadora da Universidade da Costa Rica, é antropóloga social, artista de teatro e artesã. A reflexão que ela apresentou neste seminário foi parte de sua tese para o Programa de Doutorado em Ciências Sociais da FLACSO-Argentina. 

Outros cinco seminários do GT Sistematização estão programados para este ano, com intervalos não superiores a seis semanas. A próxima, prevista para junho, terá como tema “Políticas públicas de base comunitária”. As seguintes serão sobre “Gestão cultural comunitária”, “Patrimônio cultural e comunitário”, “Boa vida e saúde comunitária”, “Memórias e museus comunitários”. O ciclo deve continuar em 2023, com os seminários “Governança Cultural Comunitária”, “Economia Social”, “Gênero, Diversidade e Cultura Comunitária” e “Educação e Cultura Comunitária” e “Infância e Juventudes”.

.

Proposta do GT

O GT de Sistematização conta atualmente com 57 membros de 10 países. Essas pessoas foram selecionadas em uma convocatória lançada pelo IberCultura Viva em 2021, destinada a pessoas vinculadas a instituições de ensino dos países membros (universidades, centros de pesquisa ou formação, institutos ou similares) e dedicadas à pesquisa de políticas culturais de base comunitária ou projetos de extensão voltados para a comunidade

A realização de seminários foi uma proposta das pessoas convocadas neste GT, com a intenção de que todas pudessem participar dessas instâncias de reflexão conceitual para começar a construir a partir do que já está feito e dos processos de cada um (seja pesquisa acadêmica, experiências em organizações, gestão, etc.). A ideia é que a construção do conhecimento seja concebida como algo coletivo e não exclusivamente do campo acadêmico, tornando esses seminários espaços de intercâmbio, discussão e produção atravessados ​​por diálogos contínuos. 

Os seminários foram concebidos inicialmente como atividades fechadas, para discussões internas dos membros do grupo de trabalho, com a possibilidade de alguns dos materiais serem compartilhados com os interessados ​​nesses debates.

.

Leia também:

GT de Sistematização se reúne para discutir um roteiro para 2022 e redefinir as comissões de trabalho

59 pessoas participarão do GT de Sistematização de Políticas Culturais de Base Comunitária

Tags | ,

02

nov
2021

Em Notícias

Por IberCultura

O comunitário na política cultural é o tema central do 5º Seminário “Comunidades, cultura e participação”

Em 02, nov 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

Com o tema “Situação, perspectivas e desafios do comunitário na política cultural”, o 5º Seminário Comunidades, Cultura e Participação se realizá entre os dias 23 e 25 de novembro no Palacio Cousiño, em Santiago (Chile), alternando sessões presenciais e on-line. As inscrições já estão abertas para quem quiser participar, inclusive com palestras ou vídeos.

Impulsionado pela Escuela de Gestores y Animadores Culturales (Egac) desde 2017, o seminário tem por objetivo gerar um espaço para a análise, conceituação e problematização da noção do comunitário na cultura, numa perspectiva de visibilizar seus alcances e projeções no Chile atual. Também busca dar visibilidade a experiências que promovam, desde o espaço local e comunitário, a incidência para o desenvolvimento de políticas públicas de base comunitária.

O evento conta com o patrocínio da Municipalidade de Santiago, de IberCultura Viva e da Red Latinoamericana de Gestión Cultural (RedLG). Todas as atividades são gratuitas e abertas à comunidade.
.
Inscrições: http://egac.cl/

.

Tags | ,

11

set
2020

Em Notícias

Por IberCultura

Seminário virtual “Políticas culturais e participação cidadã” será assistido por 119 pessoas de 10 países

Em 11, set 2020 | Em Notícias | Por IberCultura

O programa IberCultura Viva e a Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (FLACSO), sede Argentina, anunciaram nesta sexta-feira 11 de setembro os nomes das 119 pessoas que participarão do seminário virtual “Políticas culturais e participação cidadã”, que se realizará entre 16 de setembro e 7 de outubro, como uma das atividades do 4º Encontro de Redes IberCultura Viva.

Este seminário é uma colaboração do programa com FLACSO-Argentina, dentro da parceria em torno do Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária, ministrado desde 2018. Ao longo de quatro semanas, neste espaço de formação e debate, serão abordadas noções de políticas culturais, com especial ênfase nas questões de direito, cidadania e comunidade, e no papel do Estado e dos movimentos sociais e os/as cidadãos/ãs como agentes de transformação.

A convocatória para o seminário esteve aberta entre 25 de agosto e 10 de setembro. Para participar, as pessoas postulantes deveriam trabalhar em organismos públicos de cultura, ser gestores/as culturais independentes em atividade ou ser membros de organizações culturais de base comunitária ou de povos originários. 

Foram selecionadas candidaturas provenientes de 10 países membros de IberCultura Viva: Argentina (28), Brasil (9), Chile (9), Colômbia (9), Costa Rica (4), Equador (8), El Salvador (8), México (19), Peru (20) e Uruguai (5). Estas 119 pessoas receberão um correio eletrônico com informação sobre os acessos para a sala de aula virtual.

 

Módulos

O seminário se realizará durante quatro semanas através da plataforma Moodle, localizada em www.flacso.org.ar, com um encontro sincrônico uma vez por semana (1 hora de vídeo expositivo, 30 minutos para perguntas) e com trabalho em fórum de debate e reflexão, com tutores. Será mantido um fórum aberto durante a formação, incentivando o debate e a reflexão a partir dos encontros sincrônicos com as/os docentes. As aulas serão em espanhol, às quartas-feiras, das 17h às 19h, considerando o horário de Brasília e Buenos Aires. 

 Aula 1.  Políticas Culturais.  Docentes: Paula Mascías / Belén Igarzabal (Argentina)

Esta aula faz um passeio pelas noções de políticas culturais, com especial ênfase nas questões de direito, cidadania e comunidade. Serão abordadas as seguintes temáticas: Políticas culturais e cidadania, culturas e território, estado e organizações sociais, direitos culturais, políticas culturais e comunidades.

Aula 2. Cultura de Base Comunitária. Docente: Doryan Bedoya (Colômbia)

Nesta aula serão propostos os principais debates e teorias existentes em torno das políticas culturais de base comunitária. Cultura viva comunitária. História e conceitualização, novas formas de organização cultural comunitária, incidência política das organizações culturais comunitárias, abordagem e intervenção em território. 

Aula 3. Estratégias culturais e políticas de desenvolvimento. Docente: Víctor Vich (Peru)

Esta aula busca examinar os processos de tomada de decisão e o desenho de estratégias de desenvolvimento baseadas em projetos e políticas culturais. Para isso, reflexiona-se sobre o componente político das decisões e sua irredutibilidade, ao mesmo tempo em que se problematiza o vínculo entre cultura e desenvolvimento e analisam-se estratégias de transformação baseadas na potencialidade da cultura.

Aula 4: Ferramentas de planejamento e participação social. Docente: Marcela País Andrade (Argentina)

Nesta aula exploramos ferramentas diversas para o planejamento de ações em território que permitem elaborar uma abordagem complexa e em forma de nós. Essas ferramentas, em conjunto, permitem construir tramas significativas para o desenvolvimento das cidades com toda sua potência, reconhecendo, em primeira instância, o que já existe.

Quem são os facilitadores

 

Paula Mascías (Argentina) 

Licenciada em Gestão da Arte e da Cultura pela Universidad Nacional de Tres de Febrero (UNTREF). Cursou especialização em Administração das Artes na Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade de Buenos Aires (UBA) e mestrado em Política e Gestão Local na Universidade Nacional de San Martín. Atualmente, dirige o Lab Cultura + Território, da área de Comunicação e Cultura da FLACSO – Sede Argentina. Há mais de 20 anos cria e impulsa processos de participação social e desenvolvimento territorial. Tem planejado e coordenado programas socioculturais em bairros em diferentes comunas da Cidade de Buenos Aires e o Conurbano Bonaerense desde a modalidade Território + Organização Social, e elaborado estratégias de abordagem barrial em distintas partes do país, em conjunto com governos, empresas e organizações sociais. Também tem ministrado cursos e oficinas em diferentes âmbitos e participado de encontros e congressos nacionais e internacionais.

 

Belén Igarzabal (Argentina) 

Licenciada em Psicologia, tem mestrado em Jornalismo pela Universidade de San Andrés. Atualmente realiza o doutorado em Ciências Sociais de FLACSO, onde se especializa na análise de meios de comunicação, audiências e gênero. Em 2009 teve uma estadia de estudos e pesquisa em Sciences Po – Paris. É diretora da Área Comunicação e Cultura da FLACSO – Sede Argentina. É coordenadora acadêmica da pós-graduação virtual “Gestão cultural e comunicação” e diretora das pós-graduações virtuais “Políticas Culturais de Base Comunitária” e “Educação, imagens e meios” (em colaboração com a  área de Educação). Faz parte do Grupo de Trabalho CLACSO “Epistemologias decoloniais, territorialidades e cultura”. É professora das matérias “Teoria da Comunicação” e “Huellas de la transformación digital” na Universidade de San Andrés. Integra o Conselho de Cultura da Cidade de Buenos Aires.

 

Doryan Bedoya (Colômbia) 

Poeta, administrador educativo, gestor cultural. Cofundador do coletivo Caja Lúdica Guatemala em 2001 e da Rede Guatemalteca de Arte Comunitária em 2004. Membro fundador do Movimento de Arte Comunitária Centro-americano MARACA em 2005, e integrante da equipe coordenadora do Conselho Latino-americano de Cultura Viva Comunitária. Faz parte do Conselho Acadêmico de Caja Lúdica, em aliança com a Escola Superior de Arte da Universidade de San Carlos de Guatemala. Conta com especializações em Descentralização da Educação, Diplomacia Cultural, Projetos Culturais e Cooperação Internacional.

 

Víctor Vich (Peru) 

Professor principal na Pontifícia Universidade Católica do Peru e na Escuela Nacional de Bellas Artes. Foi professor convidado em Harvard, Berkeley e Madison, nos Estados Unidos. Foi membro do Conselho Diretivo do Serviço de Parques de Lima (SERPAR) e assessor em temas de política cultural em distintas instituições peruanas e da América Latina. Atualmente dirige um mestrado de Estudos Culturais. É autor de vários livros, entre eles Desculturizar la cultura: la gestión cultural como forma de acción política (2014) e Poéticas del duelo: ensayos sobre arte, memoria y violencia política (2015).

 

 

Marcela País Andrade (Argentina) 

Licenciada em Sociologia, doutora em Filosofia e Letras (Área Antropologia) e pós-doutora pela Universidade de Buenos Aires (UBA). Técnica nacional em recreação pelo Instituto de Tiempo Libre y Recreación do Governo da Cidade de Buenos Aires. Trabalha como pesquisadora adjunta do Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Técnicas (CONICET) no Instituto de Ciências Antropológicas da Faculdade de Filosofia e Letras (ICA-FFyL). É professora regular e pesquisadora na carreira de Trabalho Social da Faculdade de Ciências Sociais da UBA (FSOC-UBA), onde dirige diversos projetos de  pesquisa. Também é docente de pós-graduação na FLACSO (Área Comunicação e Cultura – Sede Argentina), no mestrado de Comunicação e Cultura de FSOC-UBA, e no mestrado em Cultura Pública da Universidad Nacional de las Artes (UNA). Foi assessora e formadora em Gestão Cultural e Cultura Comunitária para a Direção Nacional de Formação Cultural do Ministério de Cultura (2013-2019).

 

Confira a lista de pessoas selecionadas para participar do seminário:

Información a las interesadas – Proceso de selección – Seminario virtual “Políticas culturales y participación ciudadana”

Tags | , ,

11

set
2020

Em Notícias

Por IberCultura

Confira a lista de pessoas selecionadas para o seminário “Introdução ao Patrimônio Cultural Imaterial”

Em 11, set 2020 | Em Notícias | Por IberCultura

O programa IberCultura Viva e o Centro Regional para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial da América Latina (CRESPIAL) anunciaram nesta sexta-feira 11 de setembro os nomes das 119 pessoas selecionadas para participar do seminário virtual “Introdução ao Patrimônio Cultural Imaterial”, que organizam de maneira colaborativa no 4º Encontro de Redes IberCultura Viva. 

As inscrições estiveram abertas no Mapa IberCultura Viva entre 24 de agosto e 4 de setembro. Foram enviadas 190 postulações provenientes dos países membros de IberCultura Viva e do CRESPIAL. Colômbia (28), Peru (24), Argentina (23) e México (23) foram os países com maior número de pessoas candidatas. 

O número de vagas inicialmente designado era de 7 pessoas por país. No caso dos países que não completaram suas cotas, as vagas que sobraram foram repartidas entre aqueles que apresentaram um maior número de inscrições. A seleção levou em conta a ordem de chegada das inscrições e alguns critérios estabelecidos previamente no regulamento, como a divisão de vagas entre pessoas vinculadas a organizações culturais comunitárias e pessoas vinculadas a governos locais. 

O resultado final apresenta a seguinte distribuição: Argentina (10), Bolívia (3), Brasil (8), Chile (9), Colômbia (10), Costa Rica (9), Cuba (1), Equador (9), Espanha (3), El Salvador (9), Guatemala (7), México (10), República Dominicana (7), Paraguai (5), Peru (10), Uruguai (2) e Venezuela (7). 

As 119 pessoas selecionadas para participar deste seminário virtual receberão por correio eletrônico as instruções para acessar a plataforma e acompanhar as sessões. As aulas estarão disponíveis somente para as pessoas selecionadas nesta convocatória.

 

Metodologia

O seminário será realizado de maneira virtual e gratuita durante cinco semanas através da plataforma Moodle, que se encontra em https://formar.cultura.gob.ar/. As sessões serão em espanhol, às quartas-feiras, a partir das 11:00 no horário do Peru (13:00 de Argentina e Brasil, 18:00 da Espanha). Este encontro sincrônico uma vez por semana terá duas horas de duração e um trabalho de fórum de debate e reflexão, com tutores. Será mantido um fórum aberto continuamente durante a formação, incentivando o debate e a reflexão a partir dos encontros com os docentes.

A atividade faz parte do Programa de Fortalecimento de Capacidades do CRESPIAL, que  busca fortalecer as capacidades humanas e institucionais de gestores públicos, comunidades portadoras, ONGs, entre outros atores vinculados à gestão e salvaguarda do patrimônio cultural imaterial, através da cooperação regional e promovendo a participação comunitária como condição para a salvaguarda e a governança cultural. O CRESPIAL é um Centro de Categoria 2 sob os auspícios da UNESCO, com sede em Cusco (Peru). 

Esta série de encontros virtuais foi elaborada com base no material de Formação inicial – Anillo 1 do CRESPIAL, com o objetivo de sensibilizar um grupo de funcionários e pessoas da sociedade civil vinculadas com a salvaguarda do patrimônio cultural imaterial dos países membros do CRESPIAL e do IberCultura Viva. Os módulos se dividiram em quatro encontros temáticos e uma sessão final, prevista para 14 de outubro, para as conclusões e avaliação das sessões anteriores. 

  

Os módulos 

Seminário virtual: “Introdução ao Patrimônio Cultural Imaterial”

Módulo 1: Conceitos-chave sobre PCI. Conhecendo a Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial da UNESCO. Docente: Miguel Hernández Macedo (Peru).

Quarta-feira 16 de setembro 

 

-Módulo 2: Políticas públicas para a gestão e salvaguarda do PCI. Docente: Luisa Sánchez (Colômbia).

Quarta-feira 23 de setembro

 

-Módulo 3: A participação comunitária no contexto da salvaguarda do PCI. Docente: Adriana Molano Arenas (diretora geral do CRESPIAL).

Quarta-feira 30 de setembro

 

-Módulo 4: Medidas e ferramentas de salvaguarda do PCI. Docente: Lucas dos Santos Roque (Brasil).

Quarta-feira 7 de outubro

 

Quem são os/as docentes 

 

Adriana Molano Arenas (Colombia) – Diretora geral do CRESPIAL

Antropóloga com especialização em Políticas Culturais e Gestão de Artes, com experiência de trabalho na elaboração e implementação de políticas públicas participativas em temas culturais. Também dirige projetos de fortalecimento do tecido social desde a perspectiva patrimonial no âmbito do desenvolvimento sustentável com comunidades afro, indígenas e camponesas. Coordenou o grupo de patrimônio cultural imaterial da Direção de Patrimônio do Ministério de Cultura da Colômbia de 2008 a 2015. Tem desenvolvido consultorias para a UNESCO e é especialista da Estratégia Global de Fortalecimento das Capacidades Nacionais para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial na América Latina e no Caribe.

 

Miguel Ángel Hernández Macedo (Peru) 

Antropólogo com estudos de pós-graduação em Gerência Social. Especialista em patrimônio cultural imaterial com 12 anos de experiência no Ministério de Cultura do Peru, como coordenador principal na elaboração de expedientes técnicos para a inscrição de elementos do patrimônio cultural imaterial na Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO. Conta com diversas publicações sobre expressões culturais peruanas, incluindo os livros “Cozinha e Identidade: a Culinária Peruana como Patrimônio Cultural Imaterial” e “El Q’eswachaka de Canas. Engenharia e tradição nas comunidades de Quehue”. Tem sido facilitador de oficinas e cursos sobre Patrimônio Cultural Imaterial no Peru e na América Latina e representante peruano ante organismos internacionais relacionados ao patrimônio vivo.

 

Luisa Sánchez (Colômbia) 

Antropóloga. Mestre em Antropologia Social e doutora em Sociologia pelo Instituto de Altos Estudos da América Latina IHEAL-Paris 3. Atualmente é professora, pesquisadora e diretora do Departamento de Antropologia da Pontificia Universidad Javeriana de Bogotá. Tem se concentrado na pesquisa das dinâmicas históricas, políticas e populacionais das regiões da Amazônia e a Orinoquia colombianas, com ênfase em processos migratórios para contextos urbanos. Foi assessora do Grupo de Patrimônio Cultural Imaterial no Ministério de Cultura da Colômbia. Ali trabalhou as linhas de Memória e Patrimônio, Pesquisa e Inventários. Nos últimos anos tem se especializado na análise comparada e na avaliação de políticas culturais, participando como consultora internacional em vários trabalhos do CRESPIAL, em cujo site pode-se consultar sua última publicação, “Miradas al PCI de América Latina, avances y perspectivas“.

 

Lucas dos Santos Roque (Brasil) 

Antropólogo. Mestre em Ciências Sociais com especialização em Patrimônio Imaterial e Comunidades Deslocadas de maneira compulsória. Tem 20 anos de experiência como técnico e coordenador na elaboração de pesquisas e trabalhos na área ambiental e cultural. Coordenou e executou diversos diagnósticos participativos e planos participativos de desenvolvimento comunitário, e também inventários de Patrimônio Cultural Imaterial (PCI). Na Estratégia Global de Fortalecimento de Capacidades da UNESCO, tem facilitado várias oficinas para a implantação das políticas de salvaguarda do PCI e outros temas relacionados. No CRESPIAL, lidera a elaboração do Plano de Diálogo e Fortalecimento de Capacidades da instituição, assim como a coordenação da elaboração dos materiais pedagógicos previstos neste Programa. 

 

 

Confira a lista de pessoas selecionadas:

Información a las interesadas – Proceso de selección – Convocatoria para el seminario virtual “Introducción al Patrimonio Cultural Inmaterial”

 

Tags | ,

27

ago
2020

Em EDITAIS
Notícias

Por IberCultura

4º Encontro de Redes: inscrições abertas para o seminário  “Cultura comunitária, mulheres, gêneros e diversidade”

Em 27, ago 2020 | Em EDITAIS, Notícias | Por IberCultura

Nesta quinta-feira 27 de agosto começa o prazo de inscrições do seminário virtual “Cultura comunitária, mulheres, gêneros e diversidade”, que o programa IberCultura Viva realiza de maneira colaborativa junto à Direção de Artes do Ministério de Cultura do Peru,  a Direção Nacional de Cultura do Ministério de Educação e Cultura do Uruguai, e a Secretaria Geral Ibero-americana (SEGIB). Esta atividade faz parte do 4° Encontro de Redes IberCultura Viva, que se realizará de forma virtual entre 8 de setembro e 15 de outubro de 2020.

O seminário apresenta o enfoque e a perspectiva de gênero, a fim de que as pessoas participantes possam incorporar noções que ajudem à consecução da equidade entre diversidades sexuais e de gênero (DSG), com o objetivo de transversalizar ações que promovam o respeito e a inclusão no desenvolvimento das políticas culturais de base comunitária.

 

Inscrições 

As inscrições estarão abertas no Mapa IberCultura Viva até 10 de setembro, às 18h (hora de Brasília). As pessoas postulantes devem trabalhar em organismos públicos de cultura, ser gestores/as culturais independentes em atividade ou membros de organizações culturais de base comunitária ou de povos originários.

Podem participar pessoas dos 11 países membros do programa IberCultura Viva: Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Colômbia, Equador, El Salvador, Espanha, México, Peru e Uruguai. A seleção contempla até 120 vagas. Além de repartidas equitativamente entre os países participantes, as vagas devem ser divididas entre pessoas vinculadas a organizações culturais comunitárias e pessoas vinculadas a governos locais. 

 

Módulos

As aulas serão realizadas em espanhol, entre 16 de setembro e 7 de outubro, em sessões virtuais semanais, às quartas-feiras, das 15h às 17h, considerando o horário de Brasília e Buenos Aires (Argentina). Este encontro terá 1 hora e 30 minutos de vídeo expositivo, e 30 minutos para perguntas. Será mantido um fórum aberto durante a formação, incentivando o debate e a reflexão a partir dos encontros sincrônicos com as/os docentes. Será utilizada a plataforma Moodle, localizada em https://formar.cultura.gob.ar.

Quem são as facilitadoras

 

Lucía Alvites (Peru) 

Mestre em estudos de gênero e cultura pela Universidade de Chile. Socióloga pela Universidad Nacional Mayor de San Marcos. Especialista e consultora em temas de gênero para entidades públicas e privadas e organismos internacionais. Docente da Universidad Nacional Mayor de San Marcos e outros espaços acadêmicos. Diretora do Instituto Ciudadanía y Democracia. Autora de diversas pesquisas e publicações.

 

Victoria Contartese (Uruguai) 

Formada em Ciência Política, tem diploma de especialização em Marketing Político e Direção de Campanhas. Atualmente, curso o mestrado em Ciências Humanas – Estudos Latino-americanos na Faculdade de Humanidades e Ciências da Educação da Universidad de la República. Trabalha na Direção Nacional de Cultura (DNC-MEC) há 10 anos, onde tem se desempenhado em projetos como o Programa de Atenção a Coletivos Vulneráveis de Cidadania Cultural e o Sistema de Informação Cultural. Tem realizado cursos e seminários sobre políticas públicas, gênero, direitos humanos, feminismos latino-americanos, políticas culturais e diversidade cultural, entre outros.

 

Claudia Briones (Espanha) 

Coordenadora de Gênero da Secretaria Geral Ibero-americana. Anteriormente desempenhou funções como administradora dos portfólios regionais para América Latina e Caribe, Europa e Ásia Central no Fundo Fiduciário das Nações Unidas para Eliminar a Violência contra a Mulher, e como especialista de programas na área de Políticas de Violência contra as Mulheres na ONU Mulheres (Nova York). Também foi analista de programas no Escritório Sub-regional de UNIFEM para México, América Central e República Dominicana, coordenando a linha de trabalho em HIV/AIDS e programas vinculados ao empoderamento econômico das mulheres. Também trabalhou na Agência Espanhola de Cooperação ao Desenvolvimento (AECID) como coordenadora de gênero do Escritório Técnico de Cooperação em Honduras, e na Fundación Género y Sociedad, na Costa Rica, como técnica de projetos em gênero e migração.

 

 

 

Confira o regulamentohttps://bit.ly/3b18Ac1

Inscriçõeshttps://mapa.iberculturaviva.org/oportunidade/149/

Consultas: programa@iberculturaviva.org 

 

(*Texto atualizado em 6 de setembro de 2020)

Tags | , ,

25

ago
2020

Em EDITAIS
Notícias

Por IberCultura

4º Encontro de Redes: inscrições abertas para o seminário “Políticas culturais e participação cidadã”

Em 25, ago 2020 | Em EDITAIS, Notícias | Por IberCultura

O seminário virtual “Políticas culturais e participação cidadã”, que se realizará entre 16 de setembro e 7 de outubro, durante o 4º Encontro de Redes IberCultura Viva, é uma parceria do programa com a Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (FLACSO), sede Argentina, dentro da articulação do Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária, ministrado desde 2018. 

Este espaço de formação e debate reúne noções de políticas culturais, com especial ênfase nas questões de direito, cidadania e comunidade, analisando o papel do Estado e dos movimentos sociais e dos cidadãos/ãs como agentes de transformação.

Para participar, é preciso se inscrever no Mapa IberCultura Viva. O prazo de postulação começa nesta terça-feira 25 de agosto e se encerra no sábado 5 de setembro, às 18:00 (hora de Brasília e Buenos Aires). Podem postular pessoas dos 11 países membros do programa IberCultura Viva: Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Colômbia, Equador, El Salvador, Espanha, México, Peru e Uruguai. A seleção contempla até 120 vagas, repartidas equitativamente entre os países participantes.

As pessoas postulantes devem trabalhar em organismos públicos de cultura, ser gestores/as culturais independentes em atividade ou membros de organizações culturais de base comunitária ou de povos originários. Não podem participar as pessoas que tenham sido bolsistas do Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária (FLACSO-IberCultura Viva) em 2018, 2019 ou 2020. 

 

As aulas

O seminário se realizará durante quatro semanas através da plataforma Moodle, localizada em www.flacso.org.ar, com um encontro sincrônico uma vez por semana (1 hora de vídeo expositivo, 30 minutos para perguntas) e com trabalho em fórum de debate e reflexão, com tutores. Será mantido um fórum aberto durante a formação, incentivando o debate e a reflexão a partir dos encontros sincrônicos com as/os docentes. As aulas serão em espanhol, às quartas-feiras, das 17h às 19h, considerando o horário de Brasília e Buenos Aires. 

 

Aula 1.  Políticas Culturais.  Docentes: Paula Mascías / Belén Igarzabal (Argentina)

Esta aula faz um passeio pelas noções de políticas culturais, com especial ênfase nas questões de direito, cidadania e comunidade. Serão abordadas as seguintes temáticas: Políticas culturais e cidadania, culturas e território, estado e organizações sociais, direitos culturais, políticas culturais e comunidades.

 

Aula 2. Cultura de Base Comunitária. Docente: Doryan Bedoya (Colômbia)

Nesta aula serão propostos os principais debates e teorias existentes em torno das políticas culturais de base comunitária. Cultura viva comunitária. História e conceitualização, novas formas de organização cultural comunitária, incidência política das organizações culturais comunitárias, abordagem e intervenção em território. 

 

Aula 3. Estratégias culturais e políticas de desenvolvimento. Docente: Víctor Vich (Peru)

Esta aula busca examinar os processos de tomada de decisão e o desenho de estratégias de desenvolvimento baseadas em projetos e políticas culturais. Para isso, reflexiona-se sobre o componente político das decisões e sua irredutibilidade, ao mesmo tempo em que se problematiza o vínculo entre cultura e desenvolvimento e analisam-se estratégias de transformação baseadas na potencialidade da cultura.

 

Aula 4: Ferramentas de planejamento e participação social. Docente: Marcela País Andrade (Argentina)

Nesta aula exploramos ferramentas diversas para o planejamento de ações em território que permitem elaborar uma abordagem complexa e em forma de nós. Essas ferramentas, em conjunto, permitem construir tramas significativas para o desenvolvimento das cidades com toda sua potência, reconhecendo, em primeira instância, o que já existe.

Quem são os facilitadores

Paula Mascías (Argentina) 

Licenciada em Gestão da Arte e da Cultura pela Universidad Nacional de Tres de Febrero (UNTREF). Cursou especialização em Administração das Artes na Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade de Buenos Aires (UBA) e mestrado em Política e Gestão Local na Universidade Nacional de San Martín. Atualmente, dirige o Lab Cultura + Território, da área de Comunicação e Cultura da FLACSO – Sede Argentina. Há mais de 20 anos cria e impulsa processos de participação social e desenvolvimento territorial. Tem planejado e coordenado programas socioculturais em bairros em diferentes comunas da Cidade de Buenos Aires e o Conurbano Bonaerense desde a modalidade Território + Organização Social, e elaborado estratégias de abordagem barrial em distintas partes do país, em conjunto com governos, empresas e organizações sociais. Também tem ministrado cursos e oficinas em diferentes âmbitos e participado de encontros e congressos nacionais e internacionais.

  

Belén Igarzabal (Argentina) 

Licenciada em Psicologia, tem mestrado em Jornalismo pela Universidade de San Andrés. Atualmente realiza o doutorado em Ciências Sociais de FLACSO, onde se especializa na análise de meios de comunicação, audiências e gênero. Em 2009 teve uma estadia de estudos e pesquisa em Sciences Po – Paris. É diretora da Área Comunicação e Cultura da FLACSO – Sede Argentina. É coordenadora acadêmica da pós-graduação virtual “Gestão cultural e comunicação” e diretora das pós-graduações virtuais “Políticas Culturais de Base Comunitária” e “Educação, imagens e meios” (em colaboração com a  área de Educação). Faz parte do Grupo de Trabalho CLACSO “Epistemologias decoloniais, territorialidades e cultura”. É professora das matérias “Teoria da Comunicação” e “Huellas de la transformación digital” na Universidade de San Andrés. Integra o Conselho de Cultura da Cidade de Buenos Aires.

 

Doryan Bedoya (Colômbia) 

Poeta, administrador educativo, gestor cultural. Cofundador do coletivo Caja Lúdica Guatemala em 2001 e da Rede Guatemalteca de Arte Comunitária em 2004. Membro fundador do Movimento de Arte Comunitária Centro-americano MARACA em 2005, e integrante da equipe coordenadora do Conselho Latino-americano de Cultura Viva Comunitária. Faz parte do Conselho Acadêmico de Caja Lúdica, em aliança com a Escola Superior de Arte da Universidade de San Carlos de Guatemala. Conta com especializações em Descentralização da Educação, Diplomacia Cultural, Projetos Culturais e Cooperação Internacional.

 

Víctor Vich (Peru) 

Professor principal na Pontifícia Universidade Católica do Peru e na Escuela Nacional de Bellas Artes. Foi professor convidado em Harvard, Berkeley e Madison, nos Estados Unidos. Foi membro do Conselho Diretivo do Serviço de Parques de Lima (SERPAR) e assessor em temas de política cultural em distintas instituições peruanas e da América Latina. Atualmente dirige um mestrado de Estudos Culturais. É autor de vários livros, entre eles Desculturizar la cultura: la gestión cultural como forma de acción política (2014) e Poéticas del duelo: ensayos sobre arte, memoria y violencia política (2015).

 

 

Marcela País Andrade (Argentina) 

Licenciada em Sociologia, doutora em Filosofia e Letras (Área Antropologia) e pós-doutora pela Universidade de Buenos Aires (UBA). Técnica nacional em recreação pelo Instituto de Tiempo Libre y Recreación do Governo da Cidade de Buenos Aires. Trabalha como pesquisadora adjunta do Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Técnicas (CONICET) no Instituto de Ciências Antropológicas da Faculdade de Filosofia e Letras (ICA-FFyL). É professora regular e pesquisadora na carreira de Trabalho Social da Faculdade de Ciências Sociais da UBA (FSOC-UBA), onde dirige diversos projetos de  pesquisa. Também é docente de pós-graduação na FLACSO (Área Comunicação e Cultura – Sede Argentina), no mestrado de Comunicação e Cultura de FSOC-UBA, e no mestrado em Cultura Pública da Universidad Nacional de las Artes (UNA). Foi assessora e formadora em Gestão Cultural e Cultura Comunitária para a Direção Nacional de Formação Cultural do Ministério de Cultura (2013-2019).

 

Confira o regulamentohttps://bit.ly/2YFN9IF

Inscriçõeshttps://mapa.iberculturaviva.org/oportunidade/148/

Consulta: programa@iberculturaviva.org

 

Leia também:

Como inscrever-se no seminário virtual “Políticas culturais e participação cidadã”

 

Tags | , , , ,

24

ago
2020

Em EDITAIS
Notícias

Por IberCultura

Como inscrever-se no Seminário virtual “Introdução ao Patrimônio Cultural Imaterial”

Em 24, ago 2020 | Em EDITAIS, Notícias | Por IberCultura

As pessoas interessadas em participar do seminário virtual “Introdução ao Patrimônio Cultural Imaterial”, que se realizará durante o 4º Encontro de Redes IberCultura Viva, têm até a sexta-feira 4 de setembro para se inscrever na plataforma Mapa IberCultura Viva

O seminário é organizado pelo Centro Regional para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial da América Latina (CRESPIAL) em parceria com o programa. Podem participar pessoas dos países membros de CRESPIAL e IberCultura Viva. São eles: Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Cuba, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, México, República Dominicana, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

O número de participantes por país será de sete pessoas, somando 119. Além de repartidas equitativamente entre os países, as vagas devem ser divididas entre pessoas vinculadas a organizações culturais comunitárias e pessoas vinculadas a governos locais. Para participar, é necessário ter conhecimento básico em Patrimônio Cultural Imaterial. 

Estão previstas cinco sessões virtuais semanais entre 16 de setembro e 14 de outubro, às quartas-feiras, das 11h às 13h no horário do Peru (das 13h às 15h no horário de Brasília e Buenos Aires, e das 18h às 20h no horário da Espanha). Será utilizada a plataforma Moodle que se encontra em https://formar.cultura.gob.ar/

A seguir,  apresentamos um guia para ajudar na inscrição.

 

Onde estão os formulários de inscrição para participar do seminário?

Para inscrever-se neste seminário virtual é necessário registrar-se primeiro como agente cultural no Mapa IberCultura Viva: https://mapa.iberculturaviva.org/. Esta plataforma permite o registro de dois tipos de agentes: individual e coletivo. Por agentes individuais compreendemos as pessoas físicas, e por agentes coletivos, as organizações culturais comunitárias, entidades, povos originários, coletivos, agrupações e instituições. No caso desta convocatória, basta que se registre o perfil de agente individual (a pessoa física que será responsável pela inscrição).

 

Passo 1 | Cadastro

Na página inicial da plataforma, clique em “Entrar”. 

 

Vá a “Registrarse” e faça seu cadastro de usuário, preenchendo as informações pedidas (e-mail e senha). Depois, clique em “registrarse”. Obs: O campo “Registrarse” na página inicial é usado apenas na primeira vez. Nas próximas vezes, você deve clicar “Ingresar” para ter acesso ao seu perfil. (Caso tenha esquecido a senha cadastrada, clique em “Olvidé mi contraseña”)

 

Com o login registrado, você pode criar um ou mais perfis de agentes em seu cadastro. Preencha todos os campos marcados com o símbolo “*” e selecione ao menos uma área de atuação, no lado esquerdo da página. Para salvar os dados preenchidos, clique em “Salvar”, no canto superior direito.

 

Se estiver cadastrando um agente individual (pessoa física), preencha o cadastro com o número do CPF. Se for agente coletivo com personalidade jurídica, digite o CNPJ. Caso seja um agente coletivo sem personalidade jurídica, deixe o campo em branco. Na sequência, a data de nascimento é para pessoas físicas, e a de fundação, para pessoas jurídicas.

Na segunda parte do cadastro, em “Localização”, escolha entre as opções “Pública” ou “Privada”. Se escolher o primeiro, seu endereço ficará visível para todos e estará também no mapeamento georreferenciado.

Atenção: é obrigatório completar todos os campos do endereço. Caso algum dos campos do endereço esteja em branco, não será possível enviar a inscrição. (CEP = Código postal)

 

Descrição: Redija um pequeno texto descritivo sobre os trabalhos que já realizou e finalize os dados cadastrais.

Vídeos: Você pode adicionar conteúdo multimídia no seu perfil. Se quiser adicionar um vídeo, clique em “Adicionar vídeo” e cole a URL do vídeo no campo “Endereço do vídeo”. Complemente o campo título e clique em “Enviar”. É necessário que este vídeo esteja em algum endereço externo, como YouTube ou Vimeo. Você também pode adicionar imagens à sua galeria, clicando em “Adicionar imagem”.

Atenção: Não se esqueça de que para cada etapa preenchida é necessário salvar os dados inseridos no canto superior direito da tela (“Salvar”).

 

Se a pessoa responsável pela inscrição já participou de outro edital IberCultura Viva por meio desta plataforma, deve se registrar mais uma vez como agente?

Não. Pessoas que já participaram de algum edital do programa publicado no Mapa IberCultura Viva, ou já completaram seu perfil nesta plataforma, não necessitam registrar-se uma vez mais como agentes; basta ingressar em seu perfil para iniciar a inscrição.

O campo “Registrarse” na página inicial é usado apenas na primeira vez. Nas próximas vezes, você deve clicar “Ingresar” para ter acesso ao seu perfil. Obs: Na primeira vez, ao fazer o registro, o agente é direcionado automaticamente para o perfil. Depois, será necessário clicar em “Editar” para poder acessar/modificar os dados do cadastro.

 

Uma vez concluído o registro de agente, onde encontrar o formulário de inscrição do edital?

Quando tiver o perfil de agente registrado, clique em “Editais” (na parte superior da tela) e vá até o arquivo que aparece com o título “Seminário virtual Introdução ao Patrimônio Cultural Imaterial”. (O formulário se encontra em espanhol e português; o regulamento também aparece primeiro em espanhol, depois em português). 

 

Para iniciar sua inscrição, clique no campo de busca, localize o seu nome (o registro de agente individual/pessoa física previamente cadastrado) e selecione a opção “Realizar inscrição”.

 

Complete as informações requeridas no formulário de inscrição. A qualquer momento é possível salvar os dados de sua inscrição utilizando o botão “Salvar” no canto superior direito. Feito isso, é possível sair da plataforma e continuar o preenchimento em outro momento (antes do término do período de inscrições).

 

 

Que documentos é preciso completar e/ou enviar?

Além de completar o formulário que se encontra para a inscrição, é necessário enviar uma cópia do documento de identidade e alguma documentação que comprove sua vinculação com governos locais ou organizações culturais comunitárias (OCC). (As vagas serão repartidas equitativamente entre os países participantes e entre pessoas vinculadas a órgãos públicos e OCCs).

A documentação comprobatória (contratos de trabalho, contracheques, carta de superiores, etc) deve ser escaneada ou fotografada e enviada no próprio formulário que se encontra na plataforma (há um botão “Enviar” ao lado dos campos correspondentes).

Como saber se a inscrição foi realmente enviada?

Caso o registro de agente na plataforma não tenha sido completamente preenchido, não será possível enviar sua inscrição. O sistema apresentará um alerta (um ponto de exclamação “!” em vermelho, em que se deve clicar para saber onde está o problema). Se o erro estiver no registro de agente, será necessário clicar no seu nome ou na sua imagem de perfil, acessar “Meu perfil” e editar seu registro, completando todos os campos do formulário que estiverem marcados com o símbolo “*”. Também é preciso selecionar ao menos uma área de atuação, no canto superior esquerdo da página de registro.

A proposta será enviada para a participação no edital somente após o preenchimento de todos os campos do formulário e a inclusão dos anexos obrigatórios. Revise as informações antes de clicar em “Enviar inscrição”. Após o envio, não será possível editá-la. A plataforma exibirá a tela de confirmação do envio (o dia e o horário do envio aparecerão na tela com uma tarja verde).

 

Confira o regulamentohttps://bit.ly/2CU2oWw

Inscriçõeshttps://mapa.iberculturaviva.org/oportunidade/146/

Consultasprograma@iberculturaviva.org

 

Leia também:

4º Encontro de Redes: inscrições abertas para o seminário sobre Patrimônio Cultural Imaterial

 

Tags | , , , ,

24

ago
2020

Em EDITAIS
Notícias

Por IberCultura

4º Encontro de Redes: inscrições abertas para o seminário sobre Patrimônio Cultural Imaterial

Em 24, ago 2020 | Em EDITAIS, Notícias | Por IberCultura

De 16 de setembro a 14 de outubro, durante o 4º Encontro de Redes IberCultura Viva – Edição Especial, será realizado o seminário virtual “Introdução ao Patrimônio Cultural Imaterial”, organizado pelo Centro Regional para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial da América Latina (CRESPIAL) em colaboração com o programa. 

As pessoas interessadas em assistir ao seminário poderão inscrever-se a partir desta segunda-feira 24 de agosto na plataforma Mapa IberCultura Viva. Poderão participar pessoas dos países membros de CRESPIAL e IberCultura Viva, num total de 17 países (*). O número de participantes por país será de sete pessoas, somando ao todo 119. As inscrições estarão abertas até 4 de setembro. 

Os participantes podem ser tanto funcionários/as públicos/as dos países indicados como membros da sociedade civil interessados no Patrimônio Cultural Imaterial (PCI). Além de repartidas equitativamente entre os países participantes, as vagas devem ser divididas entre pessoas vinculadas a organizações culturais comunitárias e pessoas vinculadas a governos locais. Para participar, é necessário ter conhecimento básico em Patrimônio Cultural Imaterial (noções gerais) e manejar bem o espanhol. (A ferramenta que será usada é o Moodle, que se encontra em https://formar.cultura.gob.ar/)

Os módulos

O seminário será realizado de maneira virtual e gratuita durante cinco semanas através da plataforma Moodle, que se encontra em https://formar.cultura.gob.ar/. As sessões serão em espanhol, às quartas-feiras, a partir das 11:00 no horário do Peru (13:00 de Argentina e Brasil, 18:00 da Espanha). Este encontro sincrônico uma vez por semana terá duas horas de duração e um trabalho de fórum de debate e reflexão, com tutores. Será mantido um fórum aberto continuamente durante a formação, incentivando o debate e a reflexão a partir dos encontros com os docentes. 

O primeiro módulo, a cargo de Miguel Hernández Macedo (Peru), contará com uma introdução, alguns conceitos-chave sobre Patrimônio Cultural Imaterial (PCI), e uma apresentação da Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial da UNESCO. Os módulos seguintes abordarão as temáticas “Políticas públicas para a gestão e salvaguarda do PCI” (a cargo de Luisa Sánchez, Colômbia); “Participação comunitária no âmbito da salvaguarda do PCI” (Adriana Molano Arenas, diretora geral do CRESPIAL), e “Medidas e ferramentas de salvaguarda do PCI” (Lucas dos Santos Roque, Brasil). A quinta sessão, em 14 de outubro, será para as conclusões e a avaliação das sessões anteriores. 

O seminário faz parte do Programa de Fortalecimento de Capacidades do CRESPIAL, que  busca fortalecer as capacidades humanas e institucionais de gestores públicos, comunidades portadoras, ONGs, entre outros atores vinculados à gestão e salvaguarda do patrimônio cultural imaterial, através da cooperação regional e promovendo a participação comunitária como condição para a salvaguarda e a governança cultural.

 

Sobre o Crespial

O CRESPIAL tem como missão apoiar as atividades de salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial dos países da América Latina, de acordo com o espírito da Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial da UNESCO (Convenção de 2003). O Centro vem implementando iniciativas voltadas para fomentar o fortalecimento de capacidades nacionais. Entre elas, atividades de assessoria, capacitação, formação e desenvolvimento de materiais, com o objetivo de fortalecer as capacidades tanto dos representantes dos países membros do Centro como das instituições aliadas e das mesmas comunidades encarregadas de velar pelo Patrimônio Cultural Imaterial. 

Sobre a plataforma

Para inscrever-se neste seminário virtual é necessário registrar-se primeiro como agente cultural no Mapa IberCultura Viva. Esta plataforma livre, gratuita e colaborativa permite o registro de dois tipos de agentes: individual e coletivo. Por agentes individuais compreendemos as pessoas físicas, e por agentes coletivos, as organizações culturais comunitárias, entidades, povos originários, coletivos, agrupações e instituições. No caso desta convocatória, é obrigatório registrar o perfil de agente individual (a pessoa física que será responsável pela inscrição). 

Uma vez concluído o perfil de agente, deve-se clicar em “Editais” (na parte superior da tela) e buscar o arquivo que aparece com o título do seminário para iniciar a inscrição. Aqui está um guia sobre o registro de agente na plataforma: https://bit.ly/3hvGtnF

 

(*) Países participantes: Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Cuba, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, México, República Dominicana, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

 

 

 

Quem são os facilitadores 

 

Adriana Molano Arenas (Colombia) – Diretora geral do CRESPIAL

Antropóloga com especialização em Políticas Culturais e Gestão de Artes, com experiência de trabalho na elaboração e implementação de políticas públicas participativas em temas culturais. Também dirige projetos de fortalecimento do tecido social desde a perspectiva patrimonial no âmbito do desenvolvimento sustentável com comunidades afro, indígenas e camponesas. Coordenou o grupo de patrimônio cultural imaterial da Direção de Patrimônio do Ministério de Cultura da Colômbia de 2008 a 2015. Tem desenvolvido consultorias para a UNESCO e é especialista da Estratégia Global de Fortalecimento das Capacidades Nacionais para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial na América Latina e no Caribe.

 

Miguel Ángel Hernández Macedo (Peru) 

Antropólogo com estudos de pós-graduação em Gerência Social. Especialista em patrimônio cultural imaterial com 12 anos de experiência no Ministério de Cultura do Peru, como coordenador principal na elaboração de expedientes técnicos para a inscrição de elementos do patrimônio cultural imaterial na Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO. Conta com diversas publicações sobre expressões culturais peruanas, incluindo os livros “Cozinha e Identidade: a Culinária Peruana como Patrimônio Cultural Imaterial” e “El Q’eswachaka de Canas. Engenharia e tradição nas comunidades de Quehue”. Tem sido facilitador de oficinas e cursos sobre Patrimônio Cultural Imaterial no Peru e na América Latina e representante peruano ante organismos internacionais relacionados ao patrimônio vivo.

 

 

Luisa Sánchez (Colômbia) 

Antropóloga. Mestre em Antropologia Social e doutora em Sociologia pelo Instituto de Altos Estudos da América Latina IHEAL-Paris 3. Atualmente é professora, pesquisadora e diretora do Departamento de Antropologia da Pontificia Universidad Javeriana de Bogotá. Tem se concentrado na pesquisa das dinâmicas históricas, políticas e populacionais das regiões da Amazônia e a Orinoquia colombianas, com ênfase em processos migratórios para contextos urbanos. Foi assessora do Grupo de Patrimônio Cultural Imaterial no Ministério de Cultura da Colômbia. Ali trabalhou as linhas de Memória e Patrimônio, Pesquisa e Inventários. Nos últimos anos tem se especializado na análise comparada e na avaliação de políticas culturais, participando como consultora internacional em vários trabalhos do CRESPIAL, em cujo site pode-se consultar sua última publicação, “Miradas al PCI de América Latina, avances y perspectivas“.

 

 

Lucas dos Santos Roque (Brasil) 

Antropólogo. Mestre em Ciências Sociais com especialização em Patrimônio Imaterial e Comunidades Deslocadas de maneira compulsória. Tem 20 anos de experiência como técnico e coordenador na elaboração de pesquisas e trabalhos na área ambiental e cultural. Coordenou e executou diversos diagnósticos participativos e planos participativos de desenvolvimento comunitário, e também inventários de Patrimônio Cultural Imaterial (PCI). Na Estratégia Global de Fortalecimento de Capacidades da UNESCO, tem facilitado várias oficinas para a implantação das políticas de salvaguarda do PCI e outros temas relacionados. No CRESPIAL, lidera a elaboração do Plano de Diálogo e Fortalecimento de Capacidades da instituição, assim como a coordenação da elaboração dos materiais pedagógicos previstos neste Programa. 

 

Confira o regulamentohttps://bit.ly/2CU2oWw

Inscrições: https://mapa.iberculturaviva.org/oportunidade/146/

Consultas: programa@iberculturaviva.org  

 

Leia também:

Como inscrever-se no Seminário virtual “Introdução ao Patrimônio Cultural Imaterial” 

Tags | , , , , ,

29

nov
2019

Em Notícias

Por IberCultura

Seminário em Niterói debate a gestão de políticas culturais na América Latina

Em 29, nov 2019 | Em Notícias | Por IberCultura

 

O Seminário Internacional Cultura e Democracia, que começou ontem (28/11) na cidade de Niterói (Rio de Janeiro), busca refletir e aprofundar o debate em torno das políticas culturais no Brasil, a partir de experiências locais e também de outros países da América Latina. As mesas de debate, que hoje ocupam vários espaços da cidade, como o Museu de Arte Contemporânea (MAC), o Solar do Jambeiro e o Museu Janete Costa de Arte Popular, contam com a participação de convidados da Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Peru e Portugal.

Diego Benhabib, coordenador do Programa Puntos de Cultura da Argentina e representante da presidência do IberCultura Viva, esteve na mesa “Desafios da Gestão de Políticas Culturais na América Latina”, ao lado de Ana María Restrepo (Colômbia), María Inés Silva (Chile) e Úrsula Rucker (Argentina). O debate terminou com uma apresentação da Sinfônica Ambulante.

Esta sexta-feira (29/11), das 18h às 19h, Rosario Lucesole, consultora de projetos de IberCultura Viva, ministrará a oficina “Mapeamento colaborativo de organizações culturais comunitárias” no Museu de Arte Contemporânea. Antes, das 15h30 às 18h, Benhabib e Lucesole participam do debate “Construindo uma política municipal de cultura viva”, com Leonardo Giordano (vereador, autor da Lei Cultura Viva de Niterói), Dani Pabón (Rede Cultura Viva Comunitária Equador) e Dani Oliveira (representante do Comitê Gestor de Cultura Viva em Niterói).

Niterói é uma das cidades integrantes do Grupo de Trabalho de Governos Locais do IberCultura Viva, formado em Quito (Equador) em novembro de 2017. Amanhã (30/11), dia do encerramento do seminário, o município formalizará sua participação na Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais com a assinatura da carta de adesão.

 

Confira a programação do seminário:
➡️ https://culturaniteroi.com.br/blog/?id=4529&equ=cultura

 

Fotos: Cultura Niterói

Tags | , , ,