Image Image Image Image Image
Scroll to Top

Para o Topo.

Blog - Página 3 de 89 - IberCultura Viva

09

abr
2024

Em EDITAIS
Notícias

Por IberCultura

Edital de Apoio a Redes 2024 tem 151 inscrições habilitadas; prazo de recursos termina em 12 de abril

Em 09, abr 2024 | Em EDITAIS, Notícias | Por IberCultura

O programa IberCultura Viva divulgou nesta terça-feira, 9 de abril, a lista de candidaturas habilitadas que continuam no processo seletivo do Edital de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2024: são 151, provenientes dos 12 países membros. As organizações responsáveis ​​pelas 105 candidaturas que foram consideradas não habilitadas terão um prazo de três dias, a partir desta data, para corrigir a documentação, enviando o arquivo solicitado para o e-mail programa@iberculturaviva.org. O prazo para interposição de recursos termina na sexta-feira, 12 de abril.

Os recursos enviados para o email programa@iberculturaviva.org deverão ter a indicação “Recurso” no assunto e a identificação da pessoa responsável (o número de inscrição no edital). É importante revisar os motivos citados para a desabilitação no documento “Informação às Pessoas Interessadas ​​I – Etapa de Habilitação” e enviar por correio apenas a documentação faltante exigida, em arquivo(s) anexo(s).

.

Alguns motivos

Algumas das candidaturas foram enviadas sem carta aval de uma ou mais organizações envolvidas (neste caso basta enviar um e-mail com a carta que faltou) ou com carta aval sem assinatura (o documento deve ser impresso, assinado e digitalizado ou fotografado) ou com carta aval fora do formato exigido (ao clicar no nome da chamada no Mapa IberCultura Viva, os modelos de carta aval, cronograma e orçamento aparecem no lado direito da tela).

Em outros casos, o valor solicitado ultrapassa o máximo permitido (é necessário ajustar o orçamento até US$ 5.000) ou a data de início ou término do projeto não corresponde ao período previsto no regulamento do edital (o cronograma deve ser ajustado tendo em conta o início a partir de junho de 2024 e o término até novembro de 2024).

Esta chamada destina-se a propostas feitas de forma colaborativa por pelo menos três organizações culturais comunitárias. A organização responsável pelo projeto deve ter personalidade jurídica e ser do tipo sem fins lucrativos. (Se a organização responsável pelo projeto não for do tipo sem fins lucrativos, e por isso a proposta foi invalidada, pode-se apresentar outra organização cultural comunitária com o perfil exigido). No caso do Brasil, a organização responsável também deveria ser um Ponto de Cultura cadastrado na Rede Cultura Viva.

.

Continuidade do processo

Na próxima semana, a Unidade Técnica analisará os recursos enviados para esta primeira etapa do edital. Após o envio pelas organizações responsáveis ​​dos anexos exigidos, as candidaturas desclassificadas serão reconsideradas e poderão continuar no processo seletivo. A lista final das candidaturas habiltiadas será publicada neste site após o prazo e análise dos recursos.

Na segunda etapa do processo, os projetos aprovados serão avaliados por representantes dos governos de cada um dos 12 países participantes (cada governo é responsável por avaliar os projetos do seu próprio país). A avaliação será dada de acordo com os critérios previamente estabelecidos no regulamento do edital. Serão selecionados os projetos que obtiverem a pontuação mais alta em cada país.

.

Inscrições recebidas

A edição 2024 do Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo esteve aberta entre 23 de janeiro e 13 de março, período em que foram recebidas 256 candidaturas na plataforma Mapa IberCultura Viva. Este foi o maior número de inscrições nesta convocatória desde 2016, ano em que foi lançada a primeira edição. O recorde anterior era de 2022, quando foram enviadas 251 candidaturas.

Os dois países com maior número de candidaturas enviadas este ano foram a Colômbia (74) e a Argentina (73). Depois, México (20), Equador (16), Espanha (12), Peru (12), Brasil (11), Chile (11), Costa Rica (11), Paraguai (7), Uruguai (7) e El Salvador (2). A República Dominicana, que participou como país convidado, não apresentou nenhuma inscrição.

.

Confira a lista de candidaturas habilitadas e não habilitadas

Tags | , ,

02

abr
2024

Em Notícias

Por IberCultura

LABIC abre chamada para projetos de inovação em matéria de acessibilidade e sustentabilidade no Uruguai

Em 02, abr 2024 | Em Notícias | Por IberCultura

(Texto: SEGIB)

.

A Secretaria-Geral Ibero-Americana (SEGIB), juntamente com o Ceibal e a Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID), abre a chamada para a apresentação de projetos de inovação pedagógica que serão desenvolvidos no Laboratório de Inovação Cidadã do Uruguai.

O laboratório, que será realizado na cidade de Montevidéu entre os dias 20 e 26 de julho, busca propostas inovadoras para melhorar a sustentabilidade e acessibilidade do Ceibal, o centro de inovação educacional do Estado uruguaio que promove a integração de tecnologias digitais na educação para melhorar a aprendizagem. e promover processos de inovação e inclusão.

Propostas de transformação social, desenho de objetos, instalações, melhorias de processos, plataformas ou metodologias inovadoras que visem melhorar a acessibilidade e a sustentabilidade são algumas das ideias que as pessoas residentes do Uruguai podem apresentar na referida chamada, que permanecerá aberta até o próximo dia 25 de abril.

Após o encerramento da chamada, onde serão selecionadas um máximo de seis propostas, os resultados serão publicados no dia 6 de maio nos sites da Inovação Cidadã e do Ceibal.

.

Saiba mais detalhes sobre a chamada aqui.

.

Sobre os LABIC

Os Laboratórios de Inovação Cidadã (#LABIC) são uma metodologia desenvolvida pela SEGIB e realizada desde 2014 em diversos países da Ibero-América. Nos seus dez anos de vida foram desenvolvidos um total de 12 laboratórios, nos quais participaram cerca de 1.000 participantes e cerca de 150 instituições como colaboradoras.

Os LABIC são espaços criados para experimentar, sistematizar e acelerar propostas inovadoras que surgem da cidadania. Projetos que buscam gerar transformações sociais, culturais, ambientais e econômicas nas cidades e suas comunidades locais.

Os LABIC reúnem equipes multidisciplinares de pessoas de diversos países, tornando o laboratório um espaço de produção colaborativa e intercultural. O último Laboratório de Inovação Cidadã ocorreu em novembro passado em Lima, Peru, onde foram desenvolvidas soluções inovadoras para promover a segurança alimentar na Ibero-América.

02

abr
2024

Em Notícias

Por IberCultura

Governo do Chile concederá 12 bolsas extras para o Curso de Políticas Culturais de Base Comunitária 2024

Em 02, abr 2024 | Em Notícias | Por IberCultura

O Ministério das Culturas, das Artes e do Patrimônio do Chile ampliou suas cotas de bolsas para a edição 2024 do Curso de Pós-Graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária, ministrado pela FLACSO-Argentina. O país terá 12 bolsas extras nesta sétima turma do curso virtual, que começa no próximo dia 18 de abril.

Esta é a sexta vez que representantes do governo chileno decidem ampliar o número de bolsas para candidaturas de seu país utilizando os recursos disponíveis no Fundo Multilateral IberCultura Viva para apoiar a formação de organizações culturais comunitárias. As vagas extras são destinadas especialmente a pessoas que atuam em organizações da sociedade civil.

A avaliação realizada no Edital de Bolsas 2024, que concedeu 104 bolsas para pessoas dos 13 países participantes, também serviu para selecionar essas pessoas que receberão as bolsas extras do Chile.

O resultado final da convocatória, publicado nesta segunda-feira, 1º de abril, apresenta as oito candidaturas mais bem pontuadas de cada país membro, tanto de gestores/as que atuam em organismos públicos (em âmbito municipal, estadual, regional ou federal) como de representantes de organizações culturais comunitárias. Para as bolsas extras no Chile, foram escolhidas as 12 candidaturas seguintes, de pessoas que atuam em comunidades, especialmente nos Pontos de Cultura Comunitária, e que obtiveram a maior pontuação no processo seletivo.

O período de inscrições para esta convocatória abriu no dia 20 de dezembro e encerrou no dia 15 de fevereiro, período em que foram enviadas 625 inscrições para o Mapa IberCultura Viva.

.

Confira a lista de pessoas selecionadas para receber bolsas com recursos extras:

Tags | , ,

01

abr
2024

Em Destaque
EDITAIS
Notícias

Por IberCultura

104 pessoas foram selecionadas para receber as bolsas do Curso de Políticas Culturais de Base Comunitária 

Em 01, abr 2024 | Em Destaque, EDITAIS, Notícias | Por IberCultura

O programa IberCultura Viva publicou nesta segunda-feira, 1º de abril, a lista de pessoas que receberão bolsas para participar da sétima turma do Curso de Pós-Graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária. O curso será realizado no campus virtual da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO-Argentina) de abril a dezembro de 2024.

As 104 bolsas concedidas pelo programa nesta edição foram distribuídas entre os 13 países participantes. O número previsto de vagas era de oito por país; como a República Dominicana (país convidado nesta edição) teve apenas um candidato habilitado, as sete vagas restantes foram concedidas aos que obtiveram o 9º lugar nos sete países que apresentaram maior número de candidaturas: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México, Peru e Uruguai.

O período de inscrições para esta convocatória abriu no dia 20 de dezembro e terminou no dia 15 de fevereiro, período em que foram enviadas 625 inscrições ao Mapa IberCultura Viva. Desse total, 525 foram habilitadas e participaram da segunda etapa do processo seletivo. (Este foi o maior número de postulações apresentadas desde o lançamento deste curso, em 2018; o recorde anterior era da edição de 2021, quando 502 pessoas postularam e 486 passaram à segunda etapa.) 

As candidaturas que obtiveram as maiores pontuações em cada país, conforme os critérios estabelecidos no regulamento, foram selecionadas para receber as bolsas. A classificação final também considerou que ao menos 50% das pessoas escolhidas deveriam ser mulheres. Pessoas pertencentes a povos indígenas ou afrodescendentes receberam um ponto extra na avaliação. 

As pessoas selecionadas neste edital receberão um correio eletrônico da FLACSO-Argentina com os passos a seguir para efetivar a bolsa e completar a inscrição no curso de pós-graduação. Essas pessoas ganharão uma bolsa integral e não terão que pagar nada pelo curso, desde que cumpram com as avaliações parciais e apresentem o trabalho final. O ingresso ao campus se dá por meio de uma chave pessoal que se envia aos alunos e alunas no início das atividades. 

.

Proposta acadêmica

O Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária é uma construção conjunta de IberCultura Viva e FLACSO Argentina. Os conteúdos estão distribuídos em seis módulos e 26 aulas, em suporte escrito e audiovisual assincrônico, nas quais são trabalhadas noções sobre processos culturais contemporâneos, propondo um marco teórico amplo sobre as distintas teorias da cultura e os debates atuais em torno delas. A proposta acadêmica coordenada por Belén Igarzábal e Franco Rizzi busca a diversidade de miradas, com a participação de professores de vários países ibero-americanos. 

Também são abordadas noções de políticas culturais com ênfase nas questões de direito, cidadania e comunidade e debatidas as teorias existentes a respeito das políticas culturais de base comunitária, as novas formas de produção cultural e o uso de tecnologias a serviço da criação de redes. Além disso, o curso oferece ferramentas de gestão, planejamento, monitoramento e avaliação de políticas públicas culturais específicas para territórios e comunidades. 

As aulas são publicadas uma vez por semana – com uma semana de recesso no final de cada módulo – e se abre um fórum para cada aula publicada, gerando um espaço de debate e intercâmbio de ideias e experiências em torno dos temas tratados. Também se realizam encontros sincrônicos virtuais com professores/as convidados e com as tutoras do curso.

Para cumprir com os objetivos do curso, deve-se realizar um trabalho parcial escrito sobre os três primeiros módulos e um trabalho final integrador, que consiste em desenhar e planejar um projeto cultural comunitário ou uma política cultural pública de base comunitária. Os trabalhos podem ser entregues em espanhol ou português. As aulas são ministradas em espanhol, exceto as que estão a cargo de professores brasileiros, que são dadas em português e têm tradução para o espanhol. 

As pessoas que não foram selecionadas no Edital de Bolsas e quiserem se inscrever no curso este ano, pagando a matrícula, poderão fazê-lo diretamente com a FLACSO Argentina.

.

Saiba mais sobre o curso

.

Confira a lista de pessoas selecionadas no edital:

Informação às pessoas interessadas III: Etapa de avaliação – Edital de Bolsas para o Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária – Resultado

.

Leia também:

IberCultura Viva concederá 104 bolsas para o Curso de Políticas Culturais de Base Comunitária

626 pessoas se inscreveram no Edital de Bolsas para o Curso de Políticas Culturais de Base Comunitária 2024

Foram habilitadas 525 inscrições para bolsas do Curso de Políticas Culturais de Base Comunitária

Tags | , ,

28

mar
2024

Em Notícias

Por IberCultura

Chega ao fim a Iniciativa de Cooperação Triangular Estratégias Culturais para a Participação Cidadã 

Em 28, mar 2024 | Em Notícias | Por IberCultura

No dia 26 de março, foi realizada a última atividade da Iniciativa de Cooperação Triangular “Estratégias Culturais Comunitárias para a Participação Cidadã”. Na ocasião participaram representantes da aliança: a Secretaria de Cultura, Recreação e Esportes de Bogotá, a Direção de Cultura de Guadalajara, a Secretaria de Cultura do Ministério de Capital Humano da Argentina, IberCultura Viva – Secretaria Geral Ibero-Americana (SEGIB), o Mestrado e Doutorado em Gestão Cultural da Universidade de Guadalajara (UDG Virtual), bem como diversas organizações culturais comunitárias em Guadalajara, Buenos Aires e Bogotá.

Durante esta atividade foi apresentado o “Modelo de orientação para a ação cultural com foco nos direitos humanos e na sustentabilidade”, produto final da iniciativa, que tem como entidades beneficiárias a Secretaria de Cultura, Recreação e Esportes de Bogotá e a Direção de Cultura de Guadalajara. Ambas municipalidades integram a Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais. 

José Luis Mariscal, gestor metodológico, comentou que para o processo de construção do Modelo Orientador foi necessário reconhecer, visibilizar e sistematizar os saberes dos/das agentes culturais comunitários e governamentais, e estabelecer um diálogo entre estes/as e os saberes acadêmicos sobre gestão cultural.

Para tal, foram realizadas várias atividades e aplicadas diversas ferramentas de pesquisa que permitiram sistematizar a informação para formalizar esses saberes num primeiro documento, onde foram apresentadas as principais ideias e orientações contextuais, conceituais e orientações práticas.

A partir disso, diversos agentes culturais participaram de sua revisão e aprimoramento, permitindo a convergência de diversas visões e vozes que lançaram as bases para um grande acordo coletivo sobre como orientar a ação cultural com foco nos direitos humanos e na sustentabilidade.

.

A iniciativa “Estratégias Culturais Comunitárias para a Participação Cidadã” foi financiada pelo programa Ventana Adelante 2 da União Europeia, envolvendo 6 entidades de 5 países ibero-americanos, que trabalharam em 2 workshops virtuais, 1 congresso, 3 seminários presenciais e 2 visitas de estudo, nas quais participaram mais de 260 pessoas.

Ao final desta etapa, Luisa Velásquez Santiago, responsável pela iniciativa, percebe os atuais cenários de mudança de governo em Bogotá (há alguns meses) e o de Guadalajara em um futuro próximo, como momentos cíclicos chave para a aplicação desta ferramenta. Isso envolve a criação de roteiros e o direcionamento de políticas culturais como propostas a serem implementadas nos planos distritais e municipais de cultura e nos planos de desenvolvimento de ambas as cidades, através de instrumentos de articulação e legado de transição governamental. Isso permitirá gerar políticas públicas sobre cultura que contribuam de forma intersetorial para os desafios de sustentabilidade e governança que as duas cidades partilham.

Na esfera social, segundo ela, este modelo servirá para reafirmar as organizações comunitárias como agentes de transformação, diversificar, melhorar as suas estratégias de trabalho e fortalecer as suas capacidades de defesa e inter-relação com o governo local para estabelecer agendas públicas partilhadas no setor cultural. 

.

Esta iniciativa é um exemplo de cooperação triangular multinível e multissetorial, em que governos locais e nacionais, universidades, organizações sociais e especialistas na área dos direitos culturais trabalharam juntos na sua construção. Portanto, a narrativa do processo é um exemplo por si só para difundir uma boa prática.

.

.

Leia também:

Bogotá e Guadalajara realizam novo intercâmbio no projeto Ventana Adelante 2023

Representantes de Guadalajara fazem visita de estudo à Argentina para conhecer o programa Pontos de Cultura

Começa em Barcelona a quarta atividade da iniciativa “Estratégias culturais para a participação cidadã”

Congresso de Cultura e Participação Comunitária: 3 dias de intercâmbios, reflexões e debates em Guadalajara

Tags | , ,

18

mar
2024

Em Destaque
EDITAIS
Notícias

Por IberCultura

Edital de Apoio a Redes 2024 tem número recorde de candidaturas: 256 inscrições enviadas

Em 18, mar 2024 | Em Destaque, EDITAIS, Notícias | Por IberCultura

A edição 2024 do Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo, que esteve aberta entre 23 de janeiro e 13 de março, teve um total de 256 candidaturas enviadas para o Mapa IberCultura Viva. Este é o maior número de inscrições recebidas para esta chamada desde 2016, ano em que foi lançada a primeira edição. O recorde anterior era de 2022, quando foram enviadas 251 candidaturas.

O ano de 2024 marca também o maior valor concedido pelo IberCultura Viva a um Edital de Apoio a Redes: 189 mil dólares, que serão distribuídos igualmente entre os países participantes. Cada projeto selecionado receberá até 5 mil dólares para despesas de produção e/ou comunicação do evento proposto.

Os dois países com maior número de candidaturas são Colômbia (74) e Argentina (73). Em seguida vêm México (20), Equador (16), Espanha (12), Peru (12), Brasil (11), Chile (11), Costa Rica (11), Paraguai (7), Uruguai (7) e El Salvador. (2). A República Dominicana, que participou como país convidado, não apresentou nenhuma inscrição.

Na próxima semana, o programa IberCultura Viva deve publicar a lista de inscrições habilitadas. Nesta primeira etapa do processo seletivo, a Unidade Técnica analisa a documentação entregue para verificar se os anexos foram carregados corretamente, se estão envolvidas pelo menos três organizações culturais comunitárias e se são provenientes dos países membros do programa. As organizações que tiverem enviado a documentação correta passarão para a próxima etapa, de avaliação.

Na fase de habilitação, as inscrições consideradas inválidas por falta de algum documento, arquivos danificados, inconsistências de orçamentos e cronogramas, terão o prazo de três dias após a publicação da lista de projetos habilitados para interpor recurso e corrigir a documentação, enviando o arquivo requerido ao e-mail programa@iberculturaviva.org. A Unidade Técnica analisará os recursos enviados e poderá reconsiderar as inscrições inicialmente desabilitadas. Uma lista final de inscrições habilitadas será publicada no site www.iberculturaviva.org após o prazo e a análise dos recursos.

Na segunda etapa, os projetos habilitados serão avaliados por representantes dos governos de cada um dos 12 países participantes (cada governo é responsável pela avaliação dos projetos do seu próprio país). A avaliação se dará de acordo com os critérios previamente estabelecidos no regulamento do edital. Serão selecionados os projetos que obtiverem a pontuação mais alta em cada país.

.

Leia também:

IberCultura Viva abre Edital de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2024

Um guia sobre o Edital de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2024

14

mar
2024

Em Notícias

Por IberCultura

No Equador, IFCI lança o concurso “Cultura viva comunitária: divulgação, promoção e fortalecimento de comunidades”

Em 14, mar 2024 | Em Notícias | Por IberCultura

O Ministério da Cultura e Patrimônio do Equador, por meio do Instituto para a Promoção da Criatividade e Inovação (IFCI), abriu no dia 26 de fevereiro o concurso público “Cultura comunitária viva: difusão, promoção e fortalecimento de comunidades”. A iniciativa, que estará aberta até 17 de maio, tem um orçamento total de 300 mil dólares, que serão entregues a 30 vencedores (10 mil para cada beneficiário).

A intenção é fortalecer os processos de cultura viva comunitária através do desenvolvimento de metodologias de troca de conhecimentos, práticas culturais ou conhecimentos específicos, próprios ou representativos da sua comunidade, que permitam replicar e valorizar práticas e atividades culturais das comunas, comunidades, povos e nacionalidades do país.

Este concurso público prevê projetos/processos que reúnam as seguintes características:

  1. Que sejam propostas por duas organizações de base comunitária, indicadas por um único representante dos dois grupos;
  2. Que identifiquem específica e detalhadamente conhecimentos, práticas culturais ou saberes específicos, específicos ou representativos de cada uma das organizações a serem intercambiadas;
  3. Que o conhecimento a ser trocado é benéfico ou necessário para as comunidades que irão implementar, adaptar ou valorizar o conhecimento, prática cultural ou conhecimento específico;
  4. Que as comunidades demonstrem experiência no desenvolvimento de conhecimentos, práticas culturais ou conhecimentos específicos, próprios ou representativos de sua comunidade, para serem trocados.

.

Quem pode participar?

Podem se inscrever neste concurso pessoas físicas equatorianas maiores de idade residentes no Equador e estrangeiras/os maiores de idade com residência permanente no país. Da mesma forma, pessoas jurídicas equatorianas de direito privado e domiciliadas no Equador. A pessoa candidata deve ser membro do projeto.

Membros de organizações culturais comunitárias pertencentes a povos, nacionalidades, comunas e comunidades, grupos, organizações sociais domiciliadas no Equador, e organizações culturais através de seu representante legal.

.
📌Mais informação: https://fomento.culturaypatrimonio.gob.ec/www.criatividade.gob.ec

Tags | ,

12

mar
2024

Em Notícias

Por IberCultura

Ministério das Culturas lança o plano que guiará as políticas culturais da Colômbia para os próximos 15 anos

Em 12, mar 2024 | Em Notícias | Por IberCultura

(Texto e foto: MinCulturas)

 .

Na próxima quinta-feira, 14 de março, na praça do Centro Nacional de Artes Delia Zapata Olivella, em Bogotá, o ministro das Culturas, das Artes e dos Saberes da Colômbia, Juan David Correa, anunciará o Plano Nacional de Cultura 2024-2038, “Cultura para o cuidado da diversidade da vida, do território e da paz.”

O evento, aberto ao público, contará com a presença das e dos conselheiros nacionais de cultura, bem como um cerimonial de abertura a cargo do mamo Arwa Viku do povo Arhuaco, da Serra Nevada de Santa Marta.

(Mulheres artesãs, Cabo de la Vela, La Guajira)

.

O plano

O Plano Nacional de Cultura é o roteiro que definirá as políticas culturais dos próximos 15 anos no país. Foi elaborado a partir de diálogos com cerca de 100 mil cidadãs e cidadãos e agentes culturais.

Este processo, que começou em 2019, busca fazer com que as culturas, as artes e os saberes sejam prioridades nas agendas públicas, privadas e setoriais nacionais e territoriais, para que se reconheça sua contribuição essencial nos debates e nas ações que promovam a transformação social no país.

Com um enfoque biocultural, o plano propõe o reconhecimento e a proteção da diversidade cultural e biológica dos territórios, tendo como base três áreas de trabalho: Diversidade e diálogo intercultural, Memória e criação cultural, e Governança e sustentabilidade cultural.

Também identifica temas estratégicos para o desenvolvimento do setor no presente e no futuro: cultura livre de exclusões; economias sociais, solidárias, alternativas, populares e comunitárias; igualdade de gênero; ação climática; memória e inteligência artificial no contexto da cultura; discriminação e sexismo e práticas culturais em contextos urbanos.

.

Mostra artística

No lançamento, nesta quinta-feira, serão apresentados os Cantos de Trabajo del Llano – manifestação tradicional reconhecida pela UNESCO como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade desde 2017 -, do cantor e compositor Raúl ‘Numerao’ González.

No palco também haverá uma batalha de danças urbanas, da Fundação El Círculo Hip Hop, além da apresentação do vídeo jockey (VJ) Rafa Puyana e do grupo Kombilesa Mí, de San Basilio de Palenque. No encerramento será projetado o vídeo que documenta a obra La Vitrina (1989), da artista María Teresa Hincapié (Armênia, 1956 – Bogotá, 2008).

07

mar
2024

Em EDITAIS
Notícias

Por IberCultura

Foram habilitadas 525 inscrições para bolsas do Curso de Políticas Culturais de Base Comunitária

Em 07, mar 2024 | Em EDITAIS, Notícias | Por IberCultura

O Edital de Bolsas para o Curso de Pós-Graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária 2024 teve 525 inscrições habilitadas, de um total de 625 enviadas à plataforma Mapa IberCultura Viva. Essas pessoas passarão para a segunda etapa do processo seletivo do edital, que concederá um total de 104 bolsas para agentes culturais de 13 países.

Na primeira lista de candidaturas habilitadas que foi publicada pelo programa IberCultura Viva, no dia 7 de março, 110 pessoas tiveram suas inscrições invalidadas. Elas tiveram um prazo de três dias – até o domingo, 10 de março – para apresentar recursos e complementar a documentação exigida para poder prosseguir no processo seletivo. Dez recursos foram aceitos.

A avaliação das 525 candidaturas habilitadas a partir de agora ficará a cargo dos representantes governamentais de cada país participante. Aquelas que obtiverem a maior pontuação por país, de acordo com os critérios estabelecidos no regulamento do edital, serão as selecionadas para receber as bolsas do curso. O resultado final deverá ser divulgado no final de março.

O Curso Internacional de Pós-Graduação em Políticas Culturais Comunitárias FLACSO-IberCultura Viva será ministrado virtualmente entre abril e dezembro de 2024, por meio do Campus Virtual da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO), sede Argentina.

.

(*) Texto atualizado em 11 de março de 2024, após a análise dos recursos enviados

.

Confira a lista de candidaturas habilitadas e não habilitadas

Informação às Pessoas Interessadas ​​II: Etapa de Habilitação – Edital de Bolsas para o Curso de Pós-Graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária – FLACSO 2024

05

mar
2024

Em Notícias

Por IberCultura

Política de Cultura Viva, que completa 20 anos em 2024, é destaque na 4ª Conferência Nacional de Cultura

Em 05, mar 2024 | Em Notícias | Por IberCultura

(Foto: Paulo Caveira/MinC)

.
A importância das políticas culturais de base comunitária e da retomada da Política Nacional de Cultura Viva foi um dos destaques do primeiro dia da 4ª Conferência Nacional de Cultura (4ª CNC), nesta segunda-feira (04/03), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília. O evento, que tem como tema central “Democracia e direito à cultura”, segue até a próxima sexta-feira (08/03) promovendo debates sobre as políticas públicas culturais com representantes de todas as regiões do Brasil. Mais de 1200 pessoas integram as delegações estaduais.

A primeira jornada começou com a reunião extraordinária do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC) e o encontro da Comissão Nacional de Pontos de Cultura (CNPdC), seguidos de encontros de gestores e encontros nacionais setoriais (culturas indígenas, teatro, circo, etc.), além de rodas de conversa e de capoeira. À noite, a solenidade de abertura contou com a participação do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva; da ministra da Cultura, Margareth Menezes, entre outras autoridades.

A secretária de Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura (MinC), Márcia Rollemberg, que participou da reunião do CNPC, do fórum de gestores e dos encontros setoriais das culturas indígenas e das culturas populares, considerou este primeiro dia da 4ª CNC “um passo importante para reconhecer e valorizar a diversidade cultural do Brasil, reafirmando o compromisso com políticas culturais inclusivas e comunitárias”.

Marcia Rollemberg

“A política cultural de base comunitária desempenha um papel crucial na preservação da identidade local, no fortalecimento da coesão social e na promoção da diversidade cultural. Ao mesmo tempo, (a política de) Cultura Viva, com seu foco na inclusão e na participação ativa das comunidades, tem sido fundamental para democratizar o acesso à cultura e fortalecer as expressões culturais locais”, destacou a secretária, que está assumindo a presidência do programa IberCultura Viva no triênio 2024-2026.

Em 2024, a Política Nacional de Cultura Viva completa 20 anos (20 do lançamento do programa, 10 como política de Estado). Dela vem o conceito de “cultura viva”, que tem servido de referência para uma série de políticas culturais de base comunitária em países ibero-americanos, dando origem, inclusive, ao programa IberCultura Viva, que este ano também celebra sua primeira década. Países como Peru, Chile, Argentina, Costa Rica, Paraguai e Uruguai criaram programas de Puntos de Cultura inspirados na experiência brasileira.

.

Comissão Nacional de Pontos de Cultura

No encontro da Comissão Nacional de Pontos de Cultura realizado na manhã desta segunda-feira, o que se buscou foi levantar os principais desafios da Política Nacional Cultura Viva (PNCV) para serem abordados nos debates da Conferência. Nesta volta do Ministério da Cultura, a PNCV passou a receber recursos da Política Nacional Aldir Blanc, lançada em outubro de 2023. O investimento previsto é de 2 bilhões de reais em cinco anos (400 milhões de reais por ano, até 2027). 

“A Cultura Viva está num processo importante de retomada e de reconstrução da sua estrutura. Estamos às vésperas de um investimento histórico na PNCV, com a Política Nacional Aldir Blanc”, afirmou o diretor da Política Nacional de Cultura Viva, João Pontes, que também representa o Brasil no Conselho Intergovernamental do IberCultura Viva.

Pontes destacou, ainda, a importância das ações culturais realizadas nas comunidades para o fortalecimento da democracia. “A Política Nacional Cultura Viva é fundamental e estratégica para os grandes desafios que a gente tem no país, como a valorização da democracia, da diversidade e da possibilidade de construção de sujeitos sociais que valorizam sua ancestralidade e suas trajetórias”, completou.

     (Fotos: Victor Vec/MinC)

.

 

Setorial das Culturas Indígenas

Karina Gama

À tarde, na abertura do Encontro Setorial das Culturas Indígenas, a diretora da Promoção da Diversidade Cultural do MinC, Karina Gama, disse que a 4ª CNC traz um novo patamar, depois de anos difíceis, para o mapeamento de ações e estratégias pensadas para o setor no período 2024-2026. “Estamos tratando todas as ações de forma participativa, em total diálogo com as culturas indígenas, entendendo a importância desse processo”, afirmou, ressaltando o período de reconstrução do Ministério da Cultura e a importância da criação do Ministério dos Povos Indígenas.

Em seguida, Márcia Rollemberg destacou a importância das reuniões setoriais na retomada do diálogo e da participação. A secretária de Cidadania e Diversidade Cultural, que voltou ao cargo depois de quase 10 anos (ela esteve no MinC entre 2011 e 2014), lembrou que neste momento de reconstrução, o Ministério da Cultura traz a discussão da democracia, da importância dos marcos legais, “para que as instituições sejam fortes e deem conta da transição de governos”.

Ela mencionou o Plano Setorial para as Culturas Indígenas, que foi elaborado há mais de 10 anos e pode ser visto como “uma grande carta que deve se transformar numa política setorial, interministerial e interfederativa” (no sentido de envolver os entes estaduais e municipais dentro do Sistema Nacional de Cultura). Vinculado ao Plano Nacional de Cultura, este plano setorial prevê o desenvolvimento de ações voltadas para a proteção, a promoção, o fortalecimento e a valorização das culturas indígenas. 

Além disso, Márcia Rollemberg falou do desafio de ampliar a representação, a articulação e a comunicação com os povos indígenas, e citou algumas ações recentes do MinC, como a possibilidade de inscrições orais para os prêmios. Também lembrou o lançamento, em 2023, de uma das categorias do Edital Cultura Viva Sérgio Mamberti: o Prêmio Culturas Indígenas – Vovó Bernaldina, que selecionou 110 iniciativas (cada uma delas receberá R$ 30 mil). Lembrou, ainda, que o Prêmio Cultura Viva – Construção Nacional do Hip-Hop previa bonificação para pessoas indígenas, e que o Edital Cultura Viva – Fomento a Pontões de Cultura contava com a categoria Culturas Indígenas e Mãe Terra.

Ao mencionar esses editais que marcaram a retomada da Política Nacional de Cultura Viva, a secretária destacou a riqueza e diversidade das contribuições indígenas à política cultural do país. “Na Bolívia, por exemplo, dizem que o planeta Terra é sujeito de direito, que os rios são sujeitos de direito.(…) O que a gente está tentando agora trazer como um alerta, sobre as mudanças climáticas, há muito os povos originários vêm alertando. Há muito ensinamento e muito aprendizado nesse campo. E também no campo da inovação, no sentido de que as tecnologias ancestrais são modernidade até hoje, quando impactam de maneira positiva na natureza”, comentou.

Segundo ela, é importante pensar em como está a representação das culturas indígenas hoje, e em como fazer chegar uma política de forma continuada, buscando atender as pessoas na medida do que precisam e de suas singularidades. “O princípio do prêmio é de mapeamento, de certificação de Pontos de Cultura, de trazer a visibilidade dessas culturas. É a maneira de a gente ampliar esta comunidade, no sentido de dar as mãos, para fortalecer e criar de fato uma política concreta, visível, com recurso, com indicadores, e que fale em conjunto das mais de 300 etnias do Brasil”.

        (Fotos: Paulo Caveira/MinC)

.

4ª CNC

A 4ª CNC é realizada pelo MinC e pelo Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC), e correalizada pela Organização de Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura no Brasil (OEI Brasil). Além disso, conta com apoio da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso Brasil). 

Criada para discutir e propor políticas públicas para a área da cultura no Brasil, a 4ª CNC tem como propósito definir as orientações prioritárias para assegurar transversalidades nas ações do setor. As propostas aprovadas irão embasar as diretrizes do novo Plano Nacional de Cultura (PNC), que nortearão a pasta na próxima década.

.

Leia também:

Pontos e Pontões de Cultura marcam presença na 4ª Conferência Nacional de Cultura

“Nunca mais esse país entrará na escuridão do fim da cultura porque queremos as luzes acesas”, diz Lula na 4ª CNC

Tags | ,